Alcanena – Festival da Biodiversidade junta entidades nacionais e locais na preservação do rio Alviela

Em Sociedade

O Município de Alcanena promoveu, entre os dias 18 e 22 de maio, a terceira edição do Festival da Biodiversidade, designado por OBSERVACARSO, pela sua natural ligação à região do Carso e do Maçiço Calcário Estremenho.

O festival realizou-se no Complexo das Nascentes dos Olhos d’Água do Alviela, em pleno Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (PNSAC), cujo 40.º aniversário de existência está a ser assinalado em 2019 e ao qual se associa o Festival da Biodiversidade.

Durante o festival, foi assinado um novo protocolo entre o Município de Alcanena e diversas entidades locais e nacionais. O objetivo deste acordo é de colocar em prática um vasto plano de preservação e de intervenções nos troços do rio Alviela, que estejam em território do concelho de Alcanena, e a realização de diversas ações de sensibilização para a necessidade de desobstrução e reabilitação do rio.

Este acordo é assinado entre o Município de Alcanena, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA/ARH-Tejo e Oeste), o ICNF – Instituto de Conservação da Natureza, o AEA – Agrupamento de Escolas de Alcanena, as Juntas e Uniões de Freguesia do concelho de Alcanena, a AQUANENA – Empresa Municipal de Águas e Saneamento de Alcanena (EM, S.A) e a ACCVA – Associação Centro Ciência Viva do Alviela. Em conjunto, estas entidades assumem a missão de cuidar do rio Alviela e de sensibilizar toda a população para o mesmo objetivo.

Este esforço coletivo de preservação do rio Alviela surge da constatação de que é importante manter a rede hidrográfica e as zonas ribeirinhas em bom estado ecológico e com as necessárias condições de escoamento da água e sedimentos (cascalho, areias, lamas, etc.), assim como minimizar situações de risco para pessoas e bens, em situações de cheia.

Um festival em comunhão com a natureza

O festival decorreu no espaço da conhecida Praia Fluvial dos Olhos d’Água, junto às Nascentes do Rio Alviela. Um festival ao ar livre, com zona expositiva de stands institucionais e comerciais, zona de restauração, zona de espetáculos, equipamentos para a realização de atividades radicais e de lazer, tais como salto negativo, slide, bicicletas, travessia do rio (manobras de cordas), airbungee, balão de ar quente, insufláveis, slackline, percursos pedestres interpretativos, canoagem, escalada, slide, rapel, tiro com arco.

Contou ainda com muitas atividades para crianças, que se concentraram sobretudo durante os dias de semana, entre 20 e 22 de maio, com destaque para o Ateliê Para Todos “Os Gostos” – pintura de moldes de animais (que integra a programação do 40.º Aniversário do PNSAC). Durante estes duas pode ainda participar na observação de animais e de plantas, fazer um “Safari Fotográfico”, ver filmes sobre áreas protegidas, assistir a conferências temáticas e até participar em Workshops de Reciclagem de Papel, que foram dinamizados pela Casa Pia de Lisboa durante os cinco dias do evento.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Sociedade

Ir para Início