Animação todo o Verão nas Noites no Largo do Pelourinho em Alverca

Em Empresas

Numa organização conjunta da companhia de Cegada Grupo de Teatro e da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, com o apoio da Direcção-Geral das Artes, a edição deste ano apresenta um programa musical dos quatro cantos do mundo que não esquece o fado enquanto Património Imaterial da Humanidade.
Com a expectativa baseada em edições anteriores são esperadas cerca de três milhares de pessoas ao longo das oito sessões agendadas.

Organizado desde 2013, e partindo do concelho de Vila Franca de Xira para toda a zona Norte da Área Metropolitana de Lisboa, este festival propõe, a todo o território, a possibilidade de contacto com a interpretação ao vivo de vertentes musicais e culturas pouco acessíveis aos cidadãos. Quando questionado sobre o papel da parceria entre uma companhia de teatro e uma Câmara Municipal na organização desta acção cultural conjunta, Rui Dionísio – director artístico do evento – afirma que “…esta programação é realizada mesmo no centro histórico da cidade, no seu Núcleo Museológico, como tal está comprometida com o papel de serviço público de cultura do Museu Municipal. Pretende por isso proporcionar a todos os cidadãos o livre acesso a estilos musicais, de elevada qualidade, apreciados por uma enorme franja da população, que só desta forma tem acesso a uma programação eclética desta natureza. Esta acção cultural, ao proporcionar a inclusão de estéticas diversificadas, complementa a vertente popular tão presente, por todo o país, nestes meses de verão.” – conclui o responsável da Companhia Cegada, entidade organizadora desde a primeira edição.

Ao longo das sete edições já realizadas desde 2013, o cartaz de cada ano contempla um estilo de música nunca antes apresentado – e com ele uma cultura. Assim, entre música dos balcãs, o flamenco, fado, música medieval e renascentista, este ano será o reggae que, interpretado pelo Orlando Santos and the Bagatels trará pela primeira vez, os ritmos quentes da Jamaica ao centro desta cidade,  localizada às portas do Ribatejo, onde avós, filhos e netos se juntam para ouvir as mesmas músicas em serões de Verão.

Também as três exposições – Alverca e a Aviação: 1918-2018; Alverca: do Neolítico à Idade Moderna e Homens de Alverca do Ribatejo na Grande Guerra (1914-1918) patentes no Núcleo Museológico do Museu Municipal estarão disponíveis para receber visitas, nas noites de espectáculo, proporcionando às famílias um serão cultural conjunto nas noites de verão.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*