Morreu o militar de Abril Manuel Costa Braz

Em Sociedade

Morreu o coronel Manuel Costa Braz. O militar de Abril natural do Pombalinho faleceu hoje em Lisboa, aos 85 anos, vítima de doença prolongada.

Natural do Pombalinho, antiga freguesia de Santarém, agora no concelho da Golegã, Manuel Costa Braz exerceu importantes funções políticas no período posterior à Revolução de 25 de Abril de 1974, entre as quais as de Ministro da Administração Interna (1974-1975 e 1978-1980) e de Alto-Comissário contra a Corrupção (1983-1993).

Foi um dos oficiais que participou na preparação do movimento militar que deu origem à Revolução dos Cravos, na qual assumiu importante papel. No período que se segiu imediatamente à Revolução participou activamente na condução do processo político de transição para o regime democrático, tendo sido um dos redactores do Programa do Movimento das Forças Armadas. Na fase do PREC, participou na redação do Documento dos Nove de Agosto de 1975.

Exerceu diversas funções de cariz político, entre as quais as de 1.º Provedor de Justiça de Portugal de 1975 a 1976, de Adjunto Militar do Primeiro-Ministro do 1.º Governo Provisório (1974) e de embaixador dos Serviços Externos do Ministério dos Negócios Estrangeiros (1975).

Durante o período anterior à aprovação da Constituição Portuguesa de 1976, exerceu as funções de Ministro da Administração Interna nos 2.º Governo Provisório3.º Governo Provisório (1974-1975), chefiados por Vasco Gonçalves, tendo a seu cargo o complexo processo de organizar o primeiro recenseamento eleitoral posterior ao Estado Novo e de lançamento do processo eleitoral para a Assembleia Constituinte.

Exerceu também as funções de Ministro da Administração Interna no 1.º Governo Constitucional (1976-1978), chefiado por Mário Soares, cargo que voltou a exercer, em acumulação com as de Ministro-Adjunto do Primeiro-Ministro, no 5.º Governo Constitucional (1979-1980), chefiado por Maria de Lourdes Pintasilgo, período em que foi organizado o processo para as eleições autárquicas e e para as eleições legislativas de dezembro de 1979.

Foi nomeado Provedor de Justiça (1975-1975) e depois Alto-Comissário contra a Corrupção pelo Governo, função em que viria a ser depois confirmado por eleição da Assembleia da República, tendo exercido o cargo entre 1983 e 1993.

No campo empresarial, foi administrador da Hidroelétrica de Cabora Bassa (1979 a 1981) e administrador da Empresa Ilídio Monteiro Construções Lda. (1981 a 1983) e presidente do conselho de administração da Hidroelétrica de Cabora Bassa (1993 a 1999).).[1]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Sociedade

Ir para Início