Imagem satélte do IPMA, onde é bem visível o fumo dos incêndios nem Vila de Rei, Sertã e Mação.
Imagem satélite do fogo em Mação e Vila de Rei

Incêndio de Mação e Vila de Rei já se vê do espaço em imagem de satélite

Em Região

O comandante Operacional de Agrupamento Distrital do Centro Sul tem como “objectivo ambicioso” ter o grande incêndio de Mação e Vila de Rei controlado até ao início da manhã.

Em conferência de imprensa, o comandante operacional do Agrupamento Distrital do Centro Sul afirmou que a “meteorologia vai dar umas tréguas relativamente ao vento e com um aumento da percentagem da humidade”. Por isso, “a nossa ambição leva-nos a crer ter os incêndios dominados no início da manhã que se aproxima”.

Luís Belo Costa admitiu que o “principal inimigo foi o vento”, que não permitiu travar a progressão das chamas que evoluíram rapidamente de vila de rei para o concelho de Mação.

Questionado sobre se a rede SIRESP funcionou durante as operações, o Comandante Luís Belo Costa respondeu que “nos momentos de maior tráfego não falhou” e que foi utilizado “com toda a normalidade”.

Confrontado com as criticas do presidente da Câmara de Mação que lamentou a falta de meios no terreno no seu concelho, o comandante operacional disse que cerca de um terço dos bombeiros e meios operacionais na região estão concentrados no concelho de Mação. Segundo o comandante Luís Belo Costa, o incêndio que já chegou a Mação, no distrito de Santarém, vindo de Vila de Rei, mobiliza 611 operacionais e 191 meios, ocupando “mais do dobro dos meios que os outros incêndios têm”.

Em Mação, cerca da meia noite, o presidente da Câmara disse à SIC Notícias que as chamas já tinham consumido cerca de mil hectares, área calculada através do sistema MacFire.

Cerca da meia noite estavam envolvidos 1025 operacionais nos três fogos em Vila de Rei e Mação. Durante o dia, estiveram envolvidos no combate às chamas 20 meios aéreos, que ficaram impossibilitados de prosseguir o combate com a chegada da noite.

Segundo o coordenador, o combate permitiu controlar cinco dos oito incêndios. Mas foi um dos três fogos activos que atingiu o concelho de Mação, onde estão a combater as chamas cerca de 600 operacionais.
“Dizer que as localidades estiveram em perigo é um pouco excessivo”, afirma o coordenador operacional.

O presidente da Câmara de Mação afirmou à SIC Notícias que “os meios não são suficientes para o combate à frente fogo com 3 ou 4 km dentro do concelho”. O autarca sublinha que “as cinco máquinas de rasto que estão a operar no combate ao fogo são da responsabilidade da Câmara”.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Região

Ir para Início