fbpx

Falta dominar 10% do incêndio de Vila do Rei e Mação

Em Região

As frentes de incêndio de Mação e Vila de Rei foram dominadas em 90%, mas ainda há 10% a arder e a carecer de muita atenção”, de acordo com a proteção civil.

Cerca de 90% dos incêndios no concelho de Mação e Vila de Rei encontravam-se dominados ao princípio desta manhã, segundo o comandante do Agrupamento Distrital do Centro Norte, Pedro Nunes.

“O fogo ainda tem um perímetro ativo de 10%, com chama, a carecer de muita atenção. Foi feito um esforço durante a noite por parte de todos os efetivos no teatro de operações. Todo o efetivo está concentrado”, declarou o comandante do Agrupamento Distrital do Centro Norte.

Na conferência de imprensa para o primeiro ponto de situação hoje de manhã, o responsável da Proteção Civil disse que neste momento o fogo “desenvolve-se de forma branda” e “não há casas em risco”, mas existe um “plano B” caso se registe de novo uma situação como a ocorrida no domingo à tarde com a direção e a intensidade do vento.

Prevendo “um dia difícil”, o comandante afirmou que, durante a manhã vai ser feito um esforço para “percorrer a maior quantidade de território possível com máquinas de rasto para tapar as linhas de fogo”.

Para a tarde, a previsão de vento a 35 de quilómetros/hora, de noroeste, leva a Proteção Civil a centrar os esforços na proteção das localidades que poderão ficar na linha da frente de fogo, nomeadamente Chaveira, Chaveirinha e Casais de São Bento (Mação) e Vergão (Proença a Nova), onde vão ser posicionados meios da GNR e da Segurança Social, para o caso de vir a ser necessário proceder à sua evacuação.

Os meios no terreno “vão manter-se todos”, com os cerca de 1.000 operacionais a serem todos “refrescados”, com a chegada de novos elementos, afirmou o respons~´avel da Proteção Civil, acrescentando que só depois das 9h00 deverão estar reunidas as condições para a atuação dos meios aéreos, impedidos de sobrevoar a zona ao início da manhã devido ao fumo intenso.

Pedro Nunes afirmou que durante a manhã chegarão ao terreno quatro pelotões das Forças Armadas para operações de rescaldo, estando, desde domingo, quatro máquinas de rasto do Exército nas frentes de Vila de Rei e de Mação, a trabalhar nas zonas que já não têm fogo ativo, para criar aceiros visando diminuir as possibilidades de reacendimentos.

O comandante Pedro Nunes adiantou que se registaram 21 pessoas assistidas e 10 feridos, na sua maioria ligeiros. Além do comando principal, que se mantém no pavilhão desportivo municipal na Sertã, foram instalados dois postos de comando de operações, um no centro geodésico de Vila de Rei e outro junto à secção dos bombeiros de Mação em Cardigos.

Questionado sobre o número de casas afetadas, Pedro Nunes afirmou que o levantamento será feito durante a manhã de hoje pelos serviços municipais, não tendo a Segurança Social, até ao momento, registo de pessoas desalojadas.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Região

Ir para Início