fbpx

Câmara de Mação nega ter recusado abastecimentos de combustível a bombeiros

Em Região

A Câmara Municipal de Mação desmente em comunicado ter recusado o abastecimento de combustível aos bombeiros, durante o grande incêndio do fim de semana passado. O comunicado refere que “não compete à Autarquia liquidar ou autorizar o abastecimento, bem como as despesas dos combustíveis, mas sim aos Bombeiros e à ANPC que são ressarcidos dos valores pagos”.

O presidente da Câmara adianta que “na ocasião em que ocorreu a situação, não estava instalado em Cardigos qualquer posto de comando e toda a logística (refeições e combustível) era feita a partir do posto de comando em Vila de Rei. Por aqui se vê a incoerência da decisão de não existir posto de comando em Cardigos”.

Apesar disso, adianta o comunicado, “inúmeras viaturas abasteceram no Posto de Combustível em Cardigos de forma a operacionalizar o combate, com a anuência da Câmara Municipal de Mação, em particular do Presidente e do Vice-Presidente, assim como da Junta de Freguesia de Cardigos. Para se ter uma noção, informamos que só neste posto foram disponibilizados combustíveis, cujo valor total ascende a cerca de 20.000,00€”.

A autarquia promete que em breve disponibilizará algumas das faturas que sustentam este valor, assim como a listagem de abastecimentos efetuados neste âmbito”.

Segundo a autarquia, “o que foi transmitido a todos, provavelmente também a este comandante, era que em caso de necessidade abastecesse a viatura. Esta informação foi também transmitida ao proprietário do Posto de Combustível e pode ser testemunhada por várias pessoas”.

A Câmara salienta na nota à imprensa que “a viatura cisterna de que fala a notícia foi solicitada pelo presidente da Câmara Municipal de Mação para abastecimento de carros na zona de Cardigos. Esta viatura esteve mais de 48 horas no local a efetuar aquele serviço”.

Para além daquela viatura, o comunicado refere que “também um veículo de abastecimento da Câmara Municipal de Mação esteve no local para, sempre que necessário, pudesse abastecer as viaturas”.

Perante esta situação, a Câmara diz “lamentar profundamente que, sob a capa do anonimato, se digam inverdades que apenas pretendem denegrir a imagem do Município de Mação e do seu Presidente e que, sob anonimato, vão para os órgãos de comunicação social relatar factos que, uma vez mais, tentam atingir o carácter das Pessoas e não tenham, no local, a coragem de esclarecer estas situações”.

A Câmara de Mação garante que “nunca seria por falta de combustível que o combate não se realizaria. Quem combate incêndios em Mação há muitos anos sabe isso”.

O comunicado reafirma que “não existiu falta de combustível que prejudicasse o combate ao incêndio. É falsa qualquer afirmação em contrário.

Toda a situação foi coordenada com o posto de comando que esteve, sempre, a par deste assunto, conclui a nota da autarquia.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Região

Ir para Início