fbpx
Membros dos órgãos sociais da EICEL1920 eleitos para o quadriénio 2019-2022: Em primeiro plano, da esquerda para a direita: Marcelino Machado, Nuno Rocha, Manuela Fialho e José Neves. Em segundo plano, da esquerda para a direita: Paulo Santos, António da Costa, António Moreira, João Verde da Costa, Augusto Figueiredo, João Bogalho e Carlos Carujo.

EICEL1920, a associação que quer fazer um museu mineiro em Rio Maior

Em Região

A EICEL 1920 – Associação para a Defesa do Património está apostada em criar um museu mineiro em Rio Maior. O projeto faz parte do plano de ação aprovado, no passado dia 3 de Agosto, pela Associação que elegeu os novos órgãos sociais para os próximos anos.

Deste plano, destaca-se o projecto de instalação de um museu mineiro em Rio Maior, naquela que era a secção de trituração da antiga fábrica de briquetes da Mina do Espadanal. Este espaço, que esteve durante várias décadas ao abandono, tem sido objecto de acções de limpeza e restauro por parte da EICEL 1920. O contrato de comodato de uma parte do espaço realizado entre a associação e a Câmara Municipal de Rio Maior vai permitir a concretização de uma primeira fase de instalação deste museu que a Associação vai dinamizar também com várias iniciativas culturais. Para além da recuperação do espaço físico, será criado um museu mineiro virtual.

De salientar que o processo de classificação da antiga fábrica de briquetes da Mina do Espadanal como Imóvel de Interesse Público deu recentemente um passo significativo em frente com a aprovação na Assembleia da República do Projecto de Resolução n.º 2241/XIII/4.a, votada favoravelmente por todos os grupos parlamentares, e que recomenda ao Governo que adopte o procedimento necessário para a classificação do conjunto edificado composto pela fábrica de briquetes e plano inclinado da Mina do Espadanal, em Rio Maior, enquanto Património de Interesse Público. A associação irá também envolver-se no acompanhamento deste processo.

Outro eixo importante de actividade serão as comemorações da centenário da empresa que explorou a mina do Espadanal, a Empresa Industrial, Carbonífera e Electrotécnica Limitada (EICEL), da qual a associação adoptou o nome.

Para além disto, a Associação continuará a editar anualmente o centenário jornal O Riomaiorense.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Região

Ir para Início