Comissão de Utentes do Médio Tejo acusa: “Burocracia e falta de empenho político atrasam projetos do Centro Hospitalar”

Em Sociedade

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo considera “premente a requalificação da Urgência da Unidade Hospitalar de Abrantes e a aquisição de um equipamento de Ressonância Magnética para o CHMT – Centro Hospitalar do Médio Tejo”.
Após mais uma das regulares reuniões com o Conselho de Administração do CHMT, a Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo emitiu um comunicado onde dá conta de que “todos os que trabalham, administram e agem na defesa e precisam de cuidados hospitalares de qualidade nas três unidades do CHMT, esbarram em insuficiência de recursos financeiros e humanos, de autonomia de gestão e, muitas vezes, de falta de bom senso”.

Para a Comissão de Utentes, “é verdade que é importante valorizar os avanços conseguidos mas preocupa-nos a forma e o tempo em que vão sendo resolvidos os problemas existentes”.

Sobre os serviços de urgência
A Comissão de Utentes defende a alteração legal de atribuição “urgência médico-cirúrgica” ao CHMT, “para que a administração possa distribuir o esforço de urgência pelos três hospitais. Mas há o problema da Urgência de Abrantes, cujas obras vão sendo sucessivamente adiadas, pretensamente por problemas burocráticos”.

Sobre a ressonância magnética
Tem sido preocupação da Comissão de Utentes “a aquisição tão breve quanto possível de um equipamento de ressonância magnética para o CHMT. Um equipamento urgente, atendendo aos problemas que os utentes têm para se deslocar a Coimbra ou Leiria para fazerem ressonância magnética”.
A Comissão recorda que “todas as entidades com responsabilidade na gestão de cuidados de saúde no Médio Tejo – inclusive, a Ministra da Saúde em contacto pessoal na sua recente visita ao Hospital de Torres Novas – reconhecem como premente a requalificação da Urgência da Unidade Hospitalar de Abrantes e a aquisição de um equipamento de Ressonância Magnética para o CHMT”. Para mais, tendo financiamento assegurado, “custa-nos a aceitar – e as populações não compreendem – porque não começam as obras de requalificação na Urgência de Abrantes e não é adquirido um equipamento de Ressonância Magnética”, refere a Comissão

Por falta de recursos humanos, especialmente médicos, continua a haver problemas em algumas especialidades como cardiologia e fisioterapia, adianta a Comissão de Utentes.

Pela positiva, refere o reforço da pneumologia e criação da alergologia, especialidades que vão ter idoneidade formativa. Realce para a especialidade de alergologia que vai começar em Setembro, com três clínicos.
Na reunião com a administração do CHMT, houve oportunidade para referir a importância de aproveitar toda a capacidade do bloco cirúrgico do Hospital de Torres Novas.

Segundo a Comissão de Utentes, no âmbito do contínuo reforço do parque de equipamentos do CHMT, vai ser instalado um novo equipamento na especialidade de Oftalmologia, em Tomar.
Por último, a Comissão de Utentes refere que “mesmo em período de férias e em tempos de actividade eleitoral, cabe à Comissão de Utentes continuar a alertar a opinião pública, autarcas, partidos políticos, movimentos de opinião e as entidades responsáveis para a necessidade de melhorar a prestação de cuidados de saúde. Os tempos recentes mostram-nos, infelizmente, que não basta a aprovação de recomendações e resoluções e de Orçamentos de Estado na Assembleia da República e de anúncios de medidas pelo Governo, para que as populações vejam os seus mais prementes e justos anseios concretizados”.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Sociedade

Ir para Início