Roteiro para o fim de semana em Santarém

Em Ribatejo Cool

Esta sexta-feira, dia 23 de agosto, a Banda Get Back presta Tributo a David Bowie, a partir das 21h45, na Praça Sá da Bandeira (Largo do Seminário). Este espetáculo integra a programação do In.Santarém 2019 – Festival de Artes e Cultura.

A Banda Get Back com direção de João Madeira, convida vários músicos da região para um tributo a David Bowie. Oportunidade para escutar os grandes temas do músico, interpretados por uma banda de qualidade artística e técnica.

Sábado:

Este sábado, dia 24 de agosto, das 10h00 às 13h00, as ruas do Centro Histórico da Cidade recebem o Percurso/Tradição, que conta com a participação do Rancho Folclórico do Verdelho, numa organização do INATEL. Esta iniciativa está integrada no In. Santarém 2019 – Festival de Artes e Cultura.

No Jardim Portas do Sol, entre as 10h30 e as 12h00, tem lugar a ‘Animação Desportiva’ com diferentes atividades para famílias, uma ação que conta com o apoio da Decathlon. Entre as 11h00 e as 12h00, tem lugar uma sessão de ‘Yoga para todos’, com orientação dos monitores da AMA – Associação Movimento Aberto. Esta iniciativa está integrada no In.Santarém 2019 – Festival de Artes e Cultura.

A partir das 21h45, a Cafetaria do Jardim Portas do Sol acolhe o Espetáculo de música Jazz com o João Mortágua Quarteto, grupo que inclui ainda Eduardo Cardinho, João Pereira e Manuel Brito, sendo este último o responsável pelo convite endereçado ao “quarteto de luxo” com João Mortágua, já premiado como Músico do ano pela RTP, em 2017. Este espetáculo integra a programação do In.Santarém 2019 – Festival de Artes e Cultura.

Manuel Brito convida um quarteto de luxo com João Mortágua (Músico do ano prémios RTP 2017) no saxofone, acompanhado pelo baterista João Pereira do qual se destaca a prestação no quarteto de Ricardo Toscano, Eduardo Cardinho, vibrafonista dos Home, projeto vencedor do prémio jovens Músicos 2016 e Manuel Brito no contrabaixo. O Reportório vai ser composto por uma seleção de standards do cancioneiro norte Americano e musica original dos próprios que passará por sonoridades da maior intensidade à mais fina delicadeza.

A decorrer:

Até dia 30 de agosto, visite o Arquivo Histórico Municipal-Mostra Documental “Falam documentos de outras eras”, na Biblioteca Municipal Braamcamp Freire. Patente de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00.

Prencipio de haver correio nesta Villa.

Em quarta feira vinte ehum dias domes/ de maio [1642] se fez vareasão evienda aellas ofi/siais seguintes Cristovão Couseiro e alvro de Mancellos e morais e pedro afonso Azurar vareadores e gaspar dias de oliveira procurador do Conselho e gregorio simois e simão gonsalves misteres // Logo nadita Camara foi apresenta/da huma quarta feita em nome de Luis Gomes da mota fidalguo dacasa de/ Sua Magestade coreo mor deste reino pella/ qual apresentava per coreo Asistente / nesta villa eluguar assistente seu anto/nio peres teixeira morador nesta villa oque [sic] pellos ditos oficiais da Camara aseitarão/ asobre dito coreo e mandarão que se apre/ goase peresta villa que nella avia coreo/ que quem quisesse mandar cartas perco/reodo reino fosse aCasa delle suplicante antonio/ peres eviaraa Camara perselhe faserem / asdeclarasois que fossem nesessário peraobem/ coreo e que mandarão fazer este termo/ que assinarão aqui eu Francisco Carllohoens. Assinam os mesmos oficiais em vereação.

A Informação escrita há muito que nos acompanha de diversas formas de representação, desde os primórdios da civilização humana no mundo. Evolução tão intrínseca ao ser pensante. Assim como, a necessidade de informação. No reino português a atividade de distribuição da correspondência fazia-se pelo correio real. Desempenhavam igualmente tais funções os então escudeiros, predominava informação de carater oficial do reino e reinos satélites. O correio comercial e particular era servido pelos almocreves, barqueiros, caminheiros, carreteiros de transporte a cavalo e mesmo a pé, estabeleciam ligações comerciais, regionais, nacionais e mesmo internacionais. No século XVI foi criado o lugar de correio-mor, desempenhado por Luís Homem. No século seguinte, Filipe II vendeu o cargo a Luís Gomes da Mota.

Na vila de Santarém em 1642, foi criado e serviço postal, como nos prova a Ata precedente, proposto por Luís Gomes da Mota. No ano de 1646, a 18 de julho, em vereação do mesmo dia, foi arrematado o serviço postal, por Luís Fernandes, de Pombal, por cinco mil réis. Esse serviço era realizado com muitos obstáculos ao longo dos séculos. Segundo Frei Luís de Sousa e D. Luís da Cunha, uma carta demorava uma semana a quinze dias, dependendo da distância, até meados do século XVIII. Para o bom desempenho desta atividade, era necessário haver em cada localidade notável um posto de correio com serviço de carros e cavalos, para os mercadores se poderem servir. Porém, no evoluir dos tempos as vias de comunicação também foram sempre melhoradas, a nível terrestre, fluvial, marítimas e mais tarde, ferroviárias e aéreas. A primeira estrada portuguesa a ser construída foi de Lisboa a Coimbra, em finais do século XIX. Após a Revolução Industrial, com o surgimento da máquina a vapor tudo ficou mais célere. Na atualidade a comunicação fica à distância de um click informático.

Bibliografia:

AHCMSTR – Livro de Actas da Camara Municipal de Santarem. (1642-1647); SERRÂO, Joel (Dir.) [et. al], (1992] – Dicionário de História de Portugal. Porto: Livraria Figueirinhas. Vol. 2.

Até dia 30 de agosto, visite a Mostra Bibliográfica “A Vinha e o Vinho”, na Biblioteca Municipal Braamcamp Freire. Patente de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 18h00.

“A Vinha e o Vinho” foram a temática adotada para a 56ª Feira Nacional de Agricultura 2019, um certame nacional que atrai milhares de pessoas a Santarém.

Numa região essencialmente agrícola, como é o Ribatejo, com grande peso na economia local, o cultivo da vinha e a forte produção do vinho têm demonstrado ao longo dos tempos uma grande capacidade produtiva e uma divulgação crescente em vinhos de qualidade.

A Biblioteca Municipal de Santarém associa-se ao grande certame agrícola com uma exposição bibliográfica sobre a temática durante o mês de junho.

Até dia 30 de agosto, visite a Exposição Coleção de arte contemporânea ‘Manuela de Azevedo’, na Biblioteca Municipal Braamcamp Freire, de segunda a sexta-feira das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Na Casa-Museu Anselmo Braamcamp Freire encontra-se em exposição parte do espólio artístico da jornalista Manuela Ferreira de Azevedo, doado à Câmara Municipal de Santarém no final da década de 80, espólio esse que contempla reconhecidos artistas nacionais e internacionais.

De 01 de julho a 30 de setembro está em destaque trimestral uma obra da autoria de Bartolomeu Cid: “Bispo do mar”, gravura s/ papel, datada de 1968.

Até dia 31 de agosto, visite a Exposição Bibliográfica Vamos ler… Agustina Bessa Luís (1922-2019), na Sala de Leitura Bernardo Santareno. Patente de segunda a sexta-feira das 09h30 às 18h00 e sábados 09h30 às 12h30.

Agustina Bessa Luís, brilhante e conceituada escritora portuguesa faleceu na cidade do Porto, onde residia, no recente dia 03 de junho de 2019, com 96 anos.

Homenageamos a grande escritora com uma Mostra Bibliográfica e divulgamos o vasto e diversificado trabalho literário que produziu ao longo da sua vida. Uma vasta obra que versa não apenas Romances, mas também Biografias, Ensaios, Livros Infantis, Peças de Teatro e ainda Guiões de Cinema. Agustina Bessa Luís, nome literário, foi galardoada com inúmeros Prémios e distinções. Destacamos o Prémio Camões que recebeu em 2004 e já na verdura dos seus 81 anos e em 2005 foi-lhe atribuído o título de Doutora Honoris Causa pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Até dia 21 de setembro, visite a Exposição ‘Astrochimp92’, com obras de João Maria Ferreira, no n.º 60 da Rua Serpa Pinto. A Exposição de Rafael Pessoa Antunes, com o nome de ‘The Zookeeper – O Tratador do ZOO’, está patente n.º 90 da Rua Serpa Pinto.

As duas mostras podem ser visitadas até dia 21 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 1000h às13h00, e das 15h00 às 18h00, e aos sábados, entre as 10h00 e as 13h00.

Até dia 21 de setembro visite a Exposição Cartografia Sentimental, no Palácio Landal.

Exposição Cartografia Sentimental é um projeto expositivo híbrido, que explorará a relação das pessoas com a cidade, nomeadamente, com a zona histórica, criando tangentes a questões como a Topofilia, das cidades que se modificam todos os dias e de como transformamos espaços em lugares.

Até 24 de dezembro, visite a Exposição ‘Urbanidade – 150 anos de Elevação de Santarém a Cidade (1868-2018)’, em várias ruas, praças e largos de Santarém. A mostra pode ser vista em diferentes pontos do planalto, onde várias telas apresentam a evolução da terra através de imagens acompanhadas por pequenos textos explicativos. A exposição divide-se em duas partes, a segunda encontra-se na Casa do Brasil – Casa Pedro Álvares Cabral, onde a cerca de 300 fotos se juntam objetos e filmes que mostram as principais conquistas da jovem cidade, desde a cultura e do desporto, educação e saúde, ao abastecimento e saneamento público, dos transportes e comunicações, até ao urbanismo, dos espaços verdes ou aos quarteis militares.

Em permanência:

Visite o Núcleo Museológico do Tempo – Torre das Cabaças, de quarta-feira a domingo, das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, sob marcação através do telefone: 243 377 290 ou 912 578 970.

No Núcleo Museológico do Tempo encontra-se em exposição temporária um relógio de mesa, do início do século XX, em terracota policromada, representando duas crianças. Este relógio é proveniente da coleção de relojoaria do Museu Municipal de Santarém e está patente até 31 de agosto de 2019.

Sujeito a marcação através dos contatos: tel. 243 377 290 / 912 578 970

Visite o Centro de Interpretação Urbi Scallabis – USCI, no Jardim Portas do Sol, de quarta-feira a domingo, das 09h30 às 12h15 e das 14h00 às 17h15. Contato: tel.- 243 357 288.

Instalado no Jardim Portas do Sol, o Centro de Interpretação Urbi Scallabis concilia, de forma harmoniosa, a dimensão turística e a vertente científica, fruto de um aprofundado trabalho de estudo e investigação.

A área expositiva oferece uma fácil abordagem no domínio inovador da interatividade, que lhe permite, à distância de um toque digital, identificar e localizar o valor do património arquitetónico, a riqueza da tumulária, a abundância da heráldica e a qualidade da azulejaria que a cidade ostenta e que, muitas vezes, os escalabitanos e os turistas desconhecem.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Ribatejo Cool

Ir para Início