TAGUS – candidaturas abertas para “renovação das aldeias” do Ribatejo Interior

Em Empresas

Vai estar aberto, até 15 de outubro, o período de receção de candidaturas, aos apoios da TAGUS, de projetos enquadrados na tipologia “Renovação de Aldeias”, do PDR2020. Esta medida surge com várias alterações, sendo uma dela a inclusão de investimentos no património imaterial e o aumento da comparticipação para 80 por cento das despesas elegíveis nesta ação.

A TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior está a receber candidaturas aos financiamentos, no âmbito do Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC), de pedidos de apoio a implementar em Abrantes, Constância ou Sardoal, inseridos na operação 10.2.1.6.

O aviso tem 305 mil euros para apoiar projetos que preservem, conservem e valorizem o património local, paisagístico e ambiental de interesse coletivo, sinalética de itinerários paisagísticos, ambientais e agroturísticos, bem como atividades relativas ao património imaterial, material documental, ações de sensibilização, produção de publicações ou registos videográficos, fonográficos, aquisição de trajes, estudos de inventariação do património rural, do “saber fazer” antigo dos artesãos, das artes tradicionais, da literatura oral, entre outras individuais e coletivas.

Esta medida é destinada a associações, autarquias e juntas de freguesia, mas também a pessoas singulares detentoras de património considerado de interesse público. Os projetos a concurso têm de ser implementados em Abrantes, Constância e Sardoal, com a exceção dos localizados nas uniões de freguesias de Abrantes e Alferrarede e de São Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo.

A “Renovação das Aldeias” permite financiar, nos pedidos de apoio aprovados, os estudos e planos; as obras de recuperação e beneficiação de património, incluindo as associadas à preservação de património imaterial; sinalética de itinerários paisagísticos, ambientais e agroturísticos; elaboração e divulgação de material documental; software.

E com as alterações que trazem a Portaria nº133/2019, de 9 de maio, também são contempladas as despesas, relacionadas com o património imaterial, associadas à produção e edição de publicações ou registos videográficos e fonográficos, e também outros investimentos, nomeadamente aquisição de trajes, estudos de inventariação do património rural, do «saber-fazer» antigo dos artesãos, das artes tradicionais, da literatura oral e com levantamento de expressões culturais tradicionais imateriais individuais e coletivas.

A TAGUS pretende, ainda, realizar sessões de divulgação deste concurso, no início de setembro. Estas iniciativas estão previstas sempre para as 18h, no dia 3 de setembro no Salão Nobre dos Paços do Concelho Constância, no dia seguinte, 4 de setembro no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal, e na quinta-feira, dia 5 será no Auditório do Estádio Municipal de Abrantes.

Se pretende obter mais informação sobre esta matéria relacionada com os apoios, no âmbito do DLBC Rural, do PDR 2020, inserido no Portugal 2020, cofinanciados pelo FEADER – Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural, deve consultar o aviso e a legislação aplicável no sítio na Internet da TAGUS (tagus-ri.pt). Para tirar dúvidas poderá contactar este Grupo de Acão Local e agendar reunião.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Empresas

Ir para Início