Tomar inicia ano letivo com sessão de consciencialização para uma mudança urgente dos modelos pedagógicos

Em Educação/Região

A SingularityU Portugal, primeira organização no país que visa capacitar pessoas e organizações para usar as tecnologias emergentes na resolução dos grandes desafios societais, junta-se aos Agrupamentos de Escolas dos Templários e de Nuno de Santa Maria para desafiar professores do concelho de Tomar a repensarem as metodologias de ensino.

Para abrir o ano letivo, cerca de 400 professores do pré-escolar, 1º, 2º, 3º ciclos e secundário serão conduzidos numa viagem pelo impacto da tecnologia na sociedade e no futuro do trabalho, com o objetivo de explorar novos métodos de ensino que possam adaptar as escolas às transformações que irão decorrer ao longo do século XXI.

Esta jornada contará com a participação de João Mil-Homens, director executivo da SingularityU Portugal, que trará a sua visão sobre o futuro da educação e do mercado de trabalho, e de Sara Brighenti, sub-comissária do Plano Nacional das Artes, que visa tornar a arte mais acessível às crianças e jovens através da escola.

Que alunos estão a ser formados nas escolas? Que profissões irão ocupar no futuro e quais delas irão desaparecer? Que competências irão ser necessárias? – serão algumas das questões debatidas durante a sessão, numa altura em que é urgente formar cidadãos com pensamento crítico e criativo, que os diferenciem dos equipamentos e processos automatizados.
Segundo João Mil-Homens, “a sociedade e o trabalho estão a evoluir de forma exponencial, e é imperativo que o sistema educativo se adapte a uma nova realidade. Muito poucas escolas evoluíram de forma significativa no último século, estando completamente desajustadas das necessidades da sociedade. Não é por acaso que temos tantas evidências de um profundo desgaste e desmotivação entre professores e alunos. As novas tecnologias irão certamente ter um papel na transformação das escolas, mas mais importante é voltar a questionar o papel das escolas, o que devem as crianças aprender, e qual a forma mais eficaz de o fazer? É absolutamente essencial interromper o processo de estandardização das crianças promovido pelos processos de memorização e replicação. A escola tem de promover a diferença, a iniciativa e a empatia, apostando em métodos que promovam a criatividade, o empreendedorismo e as competências sociais. Na SingularityU Portugal estamos a desenvolver várias iniciativas para apoiar as escolas neste processo, com o objetivo de ajudar os jovens nas suas escolhas e a olhar para um futuro em grande transformação com otimismo.

De acordo com o Município de Tomar, “estamos a preparar os alunos para épocas que não conhecemos, para um mundo em que a tecnologia enviará muitas das profissões para os arquivos da humanidade. Há que desmistificar a ideia de que o trabalho artístico é apenas para artistas e que o trabalho intelectual trata da resolução de equações. No futuro, os computadores farão as competências lógicas certamente melhor que nós, mas pensar numa solução, aí é necessário usar o lado da imaginação e criatividade. Neste sentido, o objetivo deste arranque do ano letivo é sensibilizar os professores para esta realidade”.

A sessão acontece no dia 9 de setembro, no Cineteatro Paraíso, em Tomar. A programação inclui ainda visitas culturais ao Centro de Arqueologia do IPT, Complexo Cultural da Levada de Tomar e Centro de Estudos em Fotografia de Tomar.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Educação

Ir para Início