Colóquio no Politécnico de Tomar – Projeto CLIMRisk aponta efeitos das alterações climáticas na região

Em Região

Colóquio de encerramento do projeto ClimRisk terá lugar no campus do Politécnico de Tomar no próximo dia 19 de setembro, no auditório Dr. Júlio das Neves – O106, pelas 14.30h

CLIMRiskMedidas de adaptação às alterações climáticas na gestão dos riscos naturais e ambientais(www.climrisk.ipt.pt) é um projeto fruto de um consórcio liderado pelo Instituto Politécnico de Tomar que tem como co-promotores os Institutos Politécnicos de Leiria, Castelo Branco e as Câmaras Municipais de Ourém e Ferreira do Zêzere.

O Projeto resultou de uma candidatura no âmbito do Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica (SAICT) tendo-se iniciado em Setembro de 2017.

É constituído por uma equipa multidisciplinar constituída por 14 investigadores divididos por 7 grandes áreas de investigação (Clima, SIG, Floresta, Ambiente, Inundações, Erosão Costeira, Focus Group) contando ainda com colaboradores externos de outras instituições. A área de estudo engloba 100 municípios da região centro (NUT II). Ao longo do projeto as temáticas relativas às alterações climáticas foram debatidas com elementos da comunidade dos municípios de Ferreira do Zêzere, Ourém e Leiria tendo das mesmas resultado, entre outros, a elaboração de um Manual de Boas Práticas.

O trabalho aponta para um aumento global da temperatura média para o período entre 2041-2070 em todas as estações com particular expressão no Verão. As anomalias da temperatura média indicam um aumento entre 1,6 a 2,7°C para o Verão. As regiões mais afetadas serão as do interior norte e sul. Na área de estudo os concelhos do interior (Vila de Rei, Sertã, Sardoal, Abrantes, Mação, Proença-a-Nova e Oleiros) serão os mais afetados, com particular intensidade no Outono e Verão.

Para a precipitação os resultados apontam para uma diminuição global em todas as estações com exceção do Inverno para o qual se prevê um aumento até 28 mm no nordeste sendo residual a Sul do Tejo (Alentejo e Algarve). Os resultados indicam que as regiões mais afetadas serão as do noroeste de Portugal (litoral). Na área de estudo os municípios do interior (Oleiros, Sertã, Ferreira do Zêzere, Vila de Rei, Mação, Proença-a-Nova) serão os mais afetados, com particular intensidade no Outono e na Primavera.

Na bacia hidrográfica do rio Lis, foram analisados os impactes decorrentes dos vários cenários climáticos e os resultados apontam para que no período 2041-2070 ocorram, mais eventos de inundação, com cerca de 40 dias com caudal superior ao caudal associado à cheia centenária.

Na região Centro, os resultados projetam um aumento do índice meteorológico de perigo de incêndio (FWI) para o período entre 2041-2070, com a consequente previsão de um acréscimo da área ardida no território rural.

Mais resultados irão ser apresentados no próximo dia 19 de setembro no Colóquio de encerramento do projeto que se irá realizar no Campus do Instituto Politécnico de Tomar, no auditório Dr. Júlio das Neves – O106, pelas 14.30h.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Região

Ir para Início