Medicamentos para a azia retirados do mercado pelo Infarmed

Em Saúde/Sociedade


O INFARMED – Instituto da Farmácia e do Medicamento, ordenou a retirada do mercado de centenas de lotes de um medicamento para a azia por ter sido detetada uma impureza potencialmente cancerígena, a N-Nitrosodimethylamine, na substância ativa raniditina.

A medida foi tomada por precaução, já que a substância, da classe das nitrosaminas, já tinha sido identificada no ano passado em outros fármacos.

As autoridades ordenaram a suspensão imediata de comercialização e recolha de centenas de lotes visando reduzir ao mínimo o risco e limitando a exposição à substância suspeita de provocar cancro.

Há alguns lotes injectáveis, como alguns casos de Zantac e Bloculcer, mas, na maior parte dos casos, trata-se comprimidos Ranitine e Ranitidina em determinadas dosagens de determinadas farmacêuticas, pelo que deve consultar AQUI a lista oficial de todos os lotes abrangidos por esta decisão e também AQUI nos alertas da página www.infarmed.pt

O INFARMED diz claramente que “as entidades que possuam embalagens pertencentes a estes lotes em stock não as podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução”.

E quanto aos doentes que tenham destas embalagens devem “contactar o farmacêutico para as poderem substituir por uma embalagem de outro lote, ou o médico, no caso de ser prescrito um medicamento alternativo” disponível no mercado.

Em caso de dúvidas, pode contactar o Centro de Informação do Medicamento e dos Produtos de Saúde (CIMI) através do número 21 798 7373 ou por mail cimi@infarmed.pt e tem ainda a Linha do Medicamento com o telefone gratuito 800 222 444.

A Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia que emitiu um comunicado onde se congratula com a atividade desenvolvida pelo INFARMED no sentido da maior segurança dos medicamentos usados em Portugal relativamente à suspensão, de forma imediata, da comercialização de alguns lotes de medicamentos que contêm ranitidina, substância usada no tratamento de azia, refluxo, úlceras e esofagite.   

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Saúde

Ir para Início