2.ª fase do acesso ao ensino superior – Cursos “às moscas” nos Politécnicos de Santarém e de Tomar

Em Educação/Região

seis cursos superiores sem um único aluno: 33 vagas disponíveis em Agronomia (pós-laboral), 21 vagas em Tecnologia e Gestão Agroindustrial e 22 vagas no curso de Dieta Mediterrânica e Ciência dos Alimentos, todos da Escola Superior Agrária de Santarém; e 40 vagas na licenciatura de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores e 25 vagas em Tecnologia Química na Escola Superior de Gestão de Tomar.

Os cursos sem qualquer aluno e outros com um número residual de estudantes são os “calcanhares de Aquiles” nos dois institutos politécnicos do distrito de Santarém, mas é justo também realçar que há também licenciaturas “cheias como um ovo”, em que a nota final de acesso se manteve e subiu mesmo da primeira para a segunda fase, como são exemplos os cursos de Enfermagem, na Escola Superior de Saúde de Santarém; Gestão de Empresas e Contabilidade e Fiscalidade, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Santarém; ou ainda Gestão das Organizações Desportivas e Treino Desportivo, na Escola Superior de Desporto de Rio Maior.

Vejamos agora, curso a curso, com detalhe, começando pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) e concluindo com o Politécnico de Tomar (IST).

No caso destes dois politécnicos, o curso com média de candidatura mais alta, foi o Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem de Santarém. O último aluno a entrar obteve 12,6 valores, nota superior à da primeira fase.

No caso da Escola Superior Agrária, o curso de Agronomia, em regime pós-laboral, não tem alunos colocados na segunda fase. Havia 33 vagas. Em Agronomia, foram preenchidas 6 das 36 vagas disponíveis, tendo entrado o último aluno com 9,8 valores. Zootecnia está praticamente cheio: apenas sobram 3 vagas, havia ainda 11 para a segunda fase. Seguem-se dois cursos que podem ser um problema para a administração do IPS: o curso de Tecnologia e Gestão Agroindustrial em que nenhuma das 21 vagas foi preenchida na segunda fase de candidaturas (o curso tem agora apenas um aluno colocado que foi colocado na primeira fase) e o curso de Dieta Mediterrânica e Ciência dos Alimentos, com 22 vagas e sem nenhum colocado na segunda fase, tal como aconteceu na primeira.

Todos os cursos da Escola Superior de Educação de Santarém têm vagas por preencher, à excepção de Educação Social.  Na segunda fase, foram preenchidas as 22 vagas que faltavam e a média final de candidatura de 11,1 valores representa uma subida em relação à primeira fase de acesso ao ensino superior público. As médias mantiveram-se ou desceram ligeiramente: para Educação Básica foi preciso ter, pelo menos, 11 valores e mesmo assim só foram preenchidas 11 das 23 vagas, sobrando ainda 12 vagas; no caso de Educação Ambiental e Turismo da Natureza com 9 das 22 vagas preenchidas, sendo que o último aluno a entrar teve média de 10,7. Resta Produção Multimédia em Educação em que foram preenchidas metade das vagas disponibilizadas nesta segunda fase do concurso nacional de acesso ao superior: oito alunos colocados e a nota do último colocado na cifra dos 10,2 valores. 

A Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Santarém, há cursos com todas as vagas preenchidas como é o caso de Gestão de Empresas, com 20 vagas e subida na média final, agora nos 12,1; Contabilidade e Fiscalidade onde não sobrou nenhuma das 27 vagas e o último candidato entrou com nota de 10,8 ou Negócios Internacionais que preencheu as 14 vagas que sobravam da primeira fase e teve uma média final de ingresso acima de 11 valores. O curso de Informática teve ainda 12 alunos para as 51 vagas disponíveis, sobraram 39, e o último aluno a entrar teve média de 11,9. Já Gestão de Empresas (em regime pós-laboral) conseguiu apenas 6 alunos para 36 vagas e a nota final de candidatura ficou-se pelos 9,6 valores.

Vejamos agora a Escola Superior de Desporto de Rio Maior. Todos os cursos estão agora completos, não sobrou uma única vaga na segunda fase do concurso, e só em Gestão das Organizações Desportivas desceu ligeiramente a média final de candidatura para 12,1 valores. Nos restantes, a média subiu: 12 em Desporto de Natureza e Turismo Ativo, 12,2 em Treino Desportivo, 12 no curso de Atividade Física e Estilos de Vida Saudáveis e, por fim, a nota mais alta, 12,3 no curso de Desporto, Condição Física e Saúde.

Passemos ao Instituto Politécnico de Tomar, começando pela Escola Superior de Gestão. O curso de Contabilidade tinha 18 vagas, preencheu 11 e o último aluno a entrar teve 10,3 valores. No caso de Gestão de Empresas, foram preenchidas 20 das 33 vagas, média final de 10,8. Gestão de Recursos Humanos e Comportamento Organizacional: 18 vagas, 15 alunos colocados, média final 10,6 valores. Gestão Turística e Cultural tinha 25 vagas, foram colocados 9 alunos, média de 10,7. O curso de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores continua às moscas: 40 vagas na primeira fase, as mesmas 40 vagas na segunda fase, continua sem qualquer aluno colocado. Já Engenharia Informática ficou sem as 21 vagas disponibilizadas, o último aluno a entrar teve 12,2 de média final de candidatura. A licenciatura em Conservação e Restauro só teve 6 alunos interessados para 17 vagas e a nota final é de 11,2 valores. Design e Tecnologia das Artes Gráficas preencheu quase todas as 33 vagas, sobraram 5 e a nota é 10,4. Fotografia ficou com lotação esgotada na segunda fase do concurso de acesso ao superior, 15 vagas, 15 alunos colocados e nota de 11,7. Já Tecnologia Química não atraiu candidatos, nem na primeira nem na segunda fase, as 25 vagas ficaram por preencher. Engenharia Mecânica tem agora 1 aluno para as 25 vagas que, na primeira fase, ficaram totalmente vazias. Gestão da Edificação e Obras conseguiu um aluno com média de 12,5 para 20 vagas, sobram 19 ainda. O curso de Comunicação Social teve 13 candidatos para as 16 vagas, e a nota final foi de 10,1. A média de candidatura subiu em relação à primeira fase nos cursos de Informática e Tecnologias Multimédia e de Cinema Documental, ambos com 12,3 valores. No caso de Informática e Tecnologias Multimédia resta apenas 1 vaga por preencher. Cinema Documental tem também lotação esgotada.

A nível nacional, foram agora colocados 9274 estudantes: 4789 no ensino superior politécnico e 4485 no ensino universitário. Tal como na primeira fase, os cursos com médias mais altas foram Engenharia Aeroespacial e Engenharia Física Tecnológica, desta vez o último aluno a entrar tinha uma média final de candidatura na ordem dos 19,4 valores; seguindo-se Medicina na Universidade de Lisboa e Medicina no Instituto de Ciências Médicas Abel Salazar da Universidade do Porto, com médias de 19,3, umas centésimas abaixo. 

Os alunos colocados nesta segunda fase têm de se matricular até à próxima segunda-feira, 30 de setembro.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Educação

Ir para Início