Deputados questionam governo – PSD denuncia paragem na limpeza do rio Sorraia

Em Sociedade

Há cerca de duas semanas, os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Santarém testemunharam o início dos trabalhos de remoção da praga de jacintos de água no rio Sorraia.

A invasão de Jacinto–de-Água – Eichhornia crassipes – tem sido um problema recorrente no Rio Sorraia, outrora um rio navegável, e que passa nas vilas de Coruche e de Benavente e desagua no rio Tejo.

Segundo o PSD, no final desta Legislatura, após mais denúncias, a pergunta dos deputados do PSD e a consequente deslocação do Ministro da tutela ao local, verificou-se um aparato de manobras para remoção desta espécie invasora junto dos pontos mais visíveis pela população em geral.
O que leva o PSD a considerar que “a ação deste Governo resulta, maioritariamente, de uma reação à proatividade da oposição, nomeadamente dos, sempre atentos, deputados do PSD pelo distrito.”

“Volvidas duas semanas, quase toda a maquinaria foi retirada do local e as ações pararam no distrito de Santarém como os deputados eleitos pelo PSD puderam constatar numa visita aos diferentes locais deste distrito onde decorriam as operações”. Tanto na zona Ponte do Rebolo no Biscainho, em Coruche, como em Trejoito no concelho de Benavente, não há qualquer operação a decorrer ” o que é preocupante e revoltante”, para o PSD, afirmando que “a operação apresentada pelo Ministro do Ambiente e da Transição Energética não passou, afinal, de um embuste”.
Perante esta situação, os deputados do PSD eleitos pelo distrito apresentaram na Assembleia da República um conjunto de perguntas ao Ministro do Ambiente e da Transição Energética.

Os deputados perguntam: “Tendo o Governo pleno conhecimento da recorrente invasão de Jacinto–de-Água no Rio Sorraia, qual a razão de apenas ter sido desenvolvida ação para a sua eliminação junto a duas pontes, locais de onde a praga é mais visível para a população? Que iniciativas está o Ministério do Ambiente e da Transição Energética disposto a desenvolver para acabar de vez com esta praga em todo o rio Sorraia? Que medidas vão ou estão a ser tomadas pelos organismos competentes para controlar e prevenir esta espécie invasora no Rio Sorraia? Qual será a data de início da atuação do Ministério do Ambiente e da Transição Energética? Está prevista para antes de 6 de outubro de 2019?
Como pretende o governo financiar esta operação e de que modo pretende envolver as autarquias locais e associação de regantes? “

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*