Politécnicos e universidades promovem rede de voluntariado no ensino superior

Em Educação

São 15 instituições de Ensino Superior, entre as quais os Politécnicos de Santarém e de Tomar, reunidas no dia 18 de outubro, na Universidade do Algarve, e criaram uma Rede de Voluntariado no Ensino Superior (R-VES). A assinatura do protocolo decorreu durante o “I Simpósio Internacional de Voluntariado no Ensino Superior”, organizado pelo Grupo de Voluntariado da UAlg .

Esta rede tem como objetivo promover a coordenação e articulação entre as IES para a partilha de boas práticas no âmbito da promoção do voluntariado, nas vertentes da investigação, intervenção e disseminação a nível nacional e internacional, contribuindo para a afirmação de Portugal como uma referência neste âmbito.

A razão de ser da R-VES passa pela capacidade de, em Rede, potenciar e promover ações, estimulando a incorporação de práticas de voluntariado na missão e atividade das IES aderentes.

Para o reitor da UAlg, Paulo Águas, o voluntariado é um “processo de troca” porque implica “dar e receber”, sendo muito importante para a “formação dos estudantes”. A título de exemplo, Paulo Águas referiu o método de seleção do Mestrado Integrado de Medicina (MIM) da UAlg, que contempla na análise curricular dos candidatos o trabalho de voluntariado realizado. Sobre a rede agora criada, o reitor considera que permitirá que as IES “se aproximem e desenvolvam mais iniciativas conjuntas e aprendam mais”.

Também Cátia Martins, docente e coordenadora do Grupo de Voluntariado da UAlg, considera que “esta iniciativa é muito importante porque sentou à mesma mesa 15 IES com as mesmas preocupações”. Para a coordenadora, o próximo passo é planificar que tipo de ações se vão desenvolver e qual a ação estratégica a implementar.

“Temos que nos conhecer uns aos outros e perceber o que é que estas Instituições têm vindo a desenvolver internamente a nível de voluntariado, ou seja, adquirir um conhecimento mais aprofundado das práticas que estão a ser desenvolvidas em cada instituição, para podermos refletir no que de facto funciona e poderá ser replicado”, refere Cátia Martins. Na sua opinião, falar de voluntariado é falar de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e das moções estratégicas das IES. “Estamos a trabalhar na formação de futuros profissionais e o voluntariado é uma área privilegiada, que permite desenvolver competências transversais e poderá ser uma mais-valia na integração do mercado de trabalho”. Para concluir, defende que “se o voluntariado for uma expressão dos interesses da comunidade académica, poderá ter impacto nos seus níveis de satisfação e bem-estar.”

Integram a Rede de Voluntariado no Ensino Superior as seguintes instituições: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Instituto Politécnico de Beja, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, Instituto Politécnico de Leiria, Instituto Politécnico de Portalegre, Instituto Politécnico do Porto, Instituto Politécnico de Santarém, Instituto Politécnico de Tomar, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Politécnico de Viseu, Universidade de Aveiro, Universidade da Beira Interior, Universidade Católica Portuguesa, e Universidade da Madeira.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Educação

Ir para Início