fbpx

Dia mundial da Poupança – Veja aqui os números de Portugal

Em Atual/Sociedade

No âmbito do Dia Mundial da Poupança, que se celebra esta quinta-feira, dia 31 de Outubro, veja aqui os números da poupança em Portugal. Com base nos dados da Pordata, base de dados estatísticos da Fundação Francisco Manuel dos Santos, apresentamos 10 destaques estatísticos que mostram, por exemplo, que:

  • Poupança no total do rendimento disponível dos particulares (%)
    Sabia que…
    Em Portugal, a poupança dos particulares (i.e. das famílias e das instituições sem fins lucrativos ao serviço das famílias) em % do rendimento disponível é hoje 2,5 e 3 vezes menos do que a registada em 1988 e em 1978, respectivamente.
  • Poupança dos particulares em % do PIB
    Sabia que…
    Em 2018, a poupança dos particulares (i.e. das famílias e das instituições sem fins lucrativos ao serviço das famílias) correspondeu a 4,5% do PIB. É um valor muito inferior ao observado nos anos 70, em que chegou aos 24% em 1972 – o valor mais elevado desde 1960. As décadas de 70 e 80 foram aquelas em que a poupança foi mais elevada em % do PIB.
  • Poupança das famílias em % do PIB na União Europeia
    Sabia que…
    A poupança das famílias em Portugal em % do PIB (3,4% em 2017) é muito inferior à de países como a Alemanha, Suécia, França e Luxemburgo onde esse valor varia entre os 8,6% e os 10,8%.
  • Consumo Privado – preços constantes desde 1960
    Sabia que…
    Nunca o consumo privado foi tão elevado. O consumo privado – que mede os gastos das famílias e das instituições sem fim lucrativo ao serviço das famílias, desde as contas da casa à compra de um novo automóvel – ultrapassou em 2018 (129.094,1 milhões €) o máximo que datava de 2008 (128.406,2 milhões €).
  • Capacidade de fazer face a despesas inesperadas
    Sabia que…
    Em 2017, cerca de 37% da população em Portugal era incapaz de fazer face a despesas inesperadas. A média da UE 28 era de 34%.
  • Remessas de emigrantes, imigrantes e saldo em % do PIB (Portugal)
    Sabia que…
    As remessas de emigrantes recebidas tiveram especial importância no PIB sobretudo entre 1975 e 1995, alcançando o seu valor mais alto em 1979: 9,4% do PIB. Em 1995, representavam 3,2% e, em 2018, 1,8% (valor provisório). Ainda assim, o saldo entre remessas de emigrantes e imigrantes tem sido sempre positivo, desde 1996, ano a partir da qual existem dados disponíveis. Para tal contribui também o baixo valor das remessas dos imigrantes que nunca excedeu os 0,4% do PIB.
  • Remessas de imigrantes e emigrantes: total e por principais países de destino e origem (Portugal)
    Sabia que…
    Em 2018, os imigrantes em Portugal enviaram 532,7 milhões de euros para o estrangeiro, sendo que o principal país de destino foi o Brasil (representando 48% das remessas de imigrantes), seguido pela China (10%).
    Os emigrantes enviaram para Portugal, em 2018, um total de 3.604 milhões de euros, sendo que o principal país de origem foi a França com 1.133,3 milhões € (31,4%), logo seguida pela Suíça (25%).
  • Montantes de depósitos de particulares: total e por tipo
    Sabia que…
    2018 foi o ano em que Portugal tinha mais dinheiro depositado à ordem, desde 2003. Nos depósitos a prazo, 2013 foi o ano em que Portugal tinha valores mais elevados a prazo (101.714 milhões de euros), quase duas vezes superior ao valor mais baixo registado (2005) com 60.262 milhões de euros.

  • Taxas de juro de depósitos (média anual) de particulares: total e por tipo
    Sabia que…
    Em 2018, a taxa de juro para os depósitos à ordem e a prazo foi a mais baixa desde 2003 – 0,01% e 0,27%, respectivamente.
  • Montantes de depósitos de empresas: total e por tipo
    Sabia que…
    2018 foi o ano em que os montantes de depósitos à ordem das empresas alcançaram o seu máximo (30.526 milhões €), mas o mínimo nos montantes a prazo (8.891 milhões €), desde 2003.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Atual

Ir para Início