Hipertelia

Em Opinião

O termo fala grego, significa o que vai para além dos próprios fins. O arguto ensaísta António Guerreiro utilizou o vocábulo de modo lapidar ao comentar o desvario impotente do alargamento das zonas de protecção (?), de forma a travar o avanço dos incêndios e a lei das incompatibilidades destinada a evitar negócios e negociatas entre o Estado no seu todo e os seus serventuários especialmente os detentores de cargos políticos.

O acerado crítico colocou o dedo na buba (como dizia o saudoso Salgueiro Maia, exemplo maior de desapego), no entanto, agradecendo a António Guerreiro o ter recordado o vocábulo tantas vezes ouvido ao sábio Manuel Antunes, levou-me a alargá-lo a outros temas de óbvia vivacidade nesta época sazonal conhecida debaixo do epíteto de estação maluca. Um é o da greve dos camionistas, outro a proliferação de palradores sobre o futebol neste início de época.

A greve começou para lá da essência – os motoristas receberem aumentos e melhores condições de trabalho –, porque governantes e afinidades electivas (Presidente da República e não só) a entenderam no plano político como enfraquecimento da CGTP, desvalor dos apêndices do Partido Socialista e no plano económico cortar as «unhas» às gasolineiras, concedendo plena razão ao também saudoso José Niza que nas páginas de “O Ribatejo” teceu duras críticas ao desmesurado apetite da GALP.

Agora, o aprendiz de feiticeiro Pardal Henriques fez-se feiticeiro atrevido, glutão, a pensar na sua vidinha no futuro, conseguiu ultrapassar os limites da greve evidenciando a plenitude e profundidade do conceito de Hipertelia. É que os motoristas estão inseridos numa jogada de póker, cujos efeitos irão perdurar não se sabendo quais e em que dimensão no cenário político. Sabemos isso sim, ser ribombante o cínico silêncio do Bloco de Esquerda e do Partido Comunista, sem esquecer a pífia atitude de Rui Rio e Cristas.pois não podem dar resposta alguma. A greve foi encerrada no seu labirinto, extravasou as suas finalidades aumentando o fôlego de António Costa.

No respeitante ao futebol o conceito de hipertelia explana-se em múltiplas direcções sendo gargantuesco o apetite político na instrumentalização da modalidade a favor dos detentores do poder e ânsia dos desejosos de o usufruírem. A sociedade do espectáculo no seu melhor, na qual actores, encenadores, produtores conseguem a plenitude da alienação total, o triunfo do ópio do povo contrariando Marx em termos de previsão.

Armando Fernandes

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Opinião

Falta de chá

Os políticos de punhos de renda notabilizaram-se por serem acutilantes, ferozes nos…

Ir para Início