Hospital de Santarém: depois não vale a pena chorar!

Em Opinião

A falta de saúde de todos nós é um negócio milionário para alguns. Esses, grupos privados, lucram milhões à custa das debilidades das pessoas. Estes negócios não se lançam sem estudo de mercado – sem a garantia de lucro! Em verdade foi nesta base que se criaram as parcerias público-privadas.

Uma das suas táticas recentes é o recrutamento de funcionários da saúde aos hospitais públicos pagando-lhes muito mais do que ganham como funcionários públicos – o que não é difícil. Médicos, enfermeiros, técnicos e até pessoal auxiliar têm estado da mira da sucção ao SNS.

O setor público tem muitos anos de congelamento de carreiras e salários, maus tratos governamentais, desrespeito e desvalorização profissional. A saturação física e psicológica, até porque trabalham por turnos, atinge em particular uma das carreiras fundamentais no SNS: os enfermeiros.

Todos nós conhecemos a enorme vaga de emigração de enfermeiros, em Portugal não tinham lugar decente mas no estrangeiro rapidamente assumem lugares de grande responsabilidade e bom salário.

Um desfalque de enfermeiros e médicos poderá em breve atingir o Hospital de Santarém quando o novo hospital privado começar a funcionar. É lá que irão recrutar. O privado recrutará pessoas que fizeram formação no público, ganharam experiência no público, num processo pago por todos nós. Quando lançarem o seu novo hospital irão ter profissionais altamente capacitados sem que para isso os privados tenham gasto um tostão.

Os cuidados de saúde no setor público agravar-se-ão, muitas pessoas dirão então que no privado é que é bom. A publicidade das seguradoras fará a sua parte. O não aumento dos salários e condições de trabalho dos profissionais de saúde e a diminuição dos seus rácios no público – determinados pela equipa Costa/Centeno – fará o resto.

Recordo: quando se cantaram loas à criação de mais um hospital privado em Santarém, aprovado pelo Câmara, o Bloco de Esquerda assumiu-se contra.

Recordo que quando alguém se encontra em situação mais grave é ao público que recorre. E é para o público que os privados mandam as situações mais complexas. Já repararam que os hospitais são cada vez mais lugares de idosos?

A saúde é um direito universal e gratuito, não um negócio que não estará acessível a toda a população. Continuar a exigir a melhoria do SNS, a exigir um reforço de meios financeiros e de recursos humanos para o Hospital Distrital é uma tarefa inacabada.

Se deixarmos degradar o Hospital de Santarém, depois não vale a pena chorar!

Vítor Franco

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Opinião

Dedos gretados…

Tenho passado algum do meu tempo perplexo com a quantidade de dedos…

Ir para Início