Trabalhadores das empresas de distribuição em luta

Em Sociedade

O plenário nacional de dirigentes, delegados e activistas sindicais das empresas de distribuição reuniu esta quinta-feira e decidiu sobre a continuação da luta pela negociação do Contrato Coletivo de Trabalho e a urgência no aumento dos salários para todos os trabalhadores e deslocou-se em desfile à sede da associação patronal para entregar a resolução aprovada.

Os representantes dos trabalhadores das empresas de distribuição reunidos em plenário nacional dia 28 de novembro, em Lisboa, discutiram a situação no sector. Em comunicado, os representantes dos trabalhadores “constataram a manutenção da postura da APED (Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição) e das empresas que a dirigem, nomeadamente Sonae (presidente), Jerónimo Martins/Pingo Doce e Auchan (vice-presidentes) de quererem manter o modelo inaceitável de salários de miséria e brutal exploração dos trabalhadores,  nomeadamente através dos longos e desregulados horários de trabalho, falta de trabalhadores, ritmos de trabalho brutais, precariedade e pressões e repressão sobre os trabalhadores”.

No comunicado, os representantes dos trabalhadores reafirmam a “justeza das reivindicações constantes da proposta do CESP/Fepces apresentada à APED e às empresas de aumento de 90€ (3€/dia) para todos os trabalhadores emjaneiro de 2020, valorização das carreiras, profissões e qualificações dos trabalhadores, fim da Tabela B e correcção da carreira de operador de armazém”

– Decidiram por unanimidade que, “se a APED e as empresas mantiverem a sua postura de bloqueio à negociação, vão continuar e intensificar a luta nos meses de dezembro e janeiro com plenários, plenários com saída à rua, concentrações e greves em todas as empresas de distribuição e realizarão uma acção nacional de luta de todo o sector em data a definir”.

O plenário decidiu deslocar-se em desfile até à sede da APED, onde os representantes dos trabalhadores se concentraram enquanto a Comissão Negociadora Sindical foi entregar a Resolução aprovada à Associação Patronal.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*