Fabíola Cardoso com Catarina Martins: “Convenção de Albufeira deve garantir caudais diários, contínuos e ecológicos”

Em Região

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, acompanhada pela deputada por Santarém, Fabíola Cardoso,  defendeu que a Convenção de Albufeira deve garantir caudais diários, recomendação aprovada desde maio pelo Parlamento, mas sem quaisquer passos dados para o concretizar.

“O rio Pônsul esteve sem água por causa da gestão das barragens do lado espanhol, ficou um rio sem água o que significa prejuízos imensos, ecológicos a fauna e flora e também os prejuízos económicos, da pesca e turismo”, afirmou a coordenadora do BE.



Catarina Martins falava aos jornalistas na localidade de Lentiscais, em Castelo Branco, onde se deslocou para ouvir as preocupações da população local sobre a seca que afetou o rio Pônsul, um dos afluentes do Tejo.
Foram muitos os populares, pescadores e ambientalistas que se juntaram no Domingo, dia 1 de dezembro, no Centro Social, para debater o Rio Ponsul.


Adiantou ainda que se trata de uma região inserida em pleno Parque Natural do Tejo Internacional (PNTI), onde as questões ecológicas são particularmente importantes.

“Primeiro é preciso garantir caudais diários de Espanha para Portugal. A Convenção de Albufeira deve ter caudais diários. É algo que já foi aprovado [recomendação ao Governo] pelo Parlamento, em maio de 2019, mas ainda não houve nenhum passo para concretizar estes caudais diários”, sustentou.

A coordenadora do BE recorda que a região foi particularmente afetada do ponto de vista económico e adianta que é necessário garantir que a atividade económica “não morra”.

“Nós não só vamos querer ouvir o ministro do Ambiente sobre a Convenção de Albufeira e sobre os passos que estão a ser dados que está situação não volte a acontecer como queremos que o Governo, em conjunto com as autarquias, faça um levantamento dos prejuízos económicos e da necessidade de eventuais apoio e financiamento”, concluiu.

Foi ainda discutida a situação, inaceitável no entender do Bloco de Esquerda, da Iberdrola impedir, na Barragem de Cedillo, a livre circulação de pessoas entre Portugal e o Estado Espanhol.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Região

Ir para Início