150 anos de Cultura em Santarém em debate

Em Ribatejo Cool

A cidade de Santarém faz 150 anos e a cultura da cidade vai estar em debate no dia 7 de dezembro, sábado, pelas 16h00, no Palácio Landal, por iniciativa do FITIJ – Associação Cultural.

Entre os oradores conta-se a historiadora Teresa Lopes Moreira, dará conta do trabalho do “Grupo de Coordenação Cultural de Santarém (1944-1947)”, movimento cultural que surgiu de uma ideia do dirigente associativo Manuel Ginestal Machado que pretendia difundir a cultura a todos os que não tinham tido oportunidade e meios para o conseguir, porque “todos tinham direito à cultura”.

O sociólogo Nuno Domingos, falará sobre “Veto Teatro Oficina, 50 anos a levar emoções do palco para o mundo”, sem interrupções, para além de percorrer espaços teatrais e grupos de teatro de Santarém, neste período.

 A arqueóloga Vanda Luciano falará “Da Vila para a Cidade: a arqueologia e seu contributo para a história de Santarém”, considerando que Santarém tem sido “palco” de diversas intervenções que têm permitido conhecer mais da sua história. Constata-se que o seu património é sobejamente falado, embora poucos testemunhos restem da sua majestosidade de épocas mais antigas. Destaca que o novo substitui o antigo de uma forma indelével, sem que muitas vezes se contemple a preservação desses testemunhos tão importantes.

“Cultura em Santarém: crónica de uma morte anunciada?” é o tema da comunicação do historiador Luís Mata, considerando que “neste último século e meio, o percurso cultural em Santarém tem procurado escapar da efemeridade das intervenções, da mediocridade dos conceitos e da banalidade dos comportamentos, buscando privilegiar a noção de reserva cultural, de vivência autêntica e de desenvolvimento sustentado e planeado. Mas em que medida isso foi conseguido é o que se procura escalpelizar nesta intervenção, com base no balanço feito a dois projetos-âncora em que o orador foi protagonista, podendo, por essa razão, falar deles com maior propriedade: o Museu Municipal e a Candidatura de Santarém a Património Mundial”.

Para a organização, “este painel será o estímulo para se ficar com mais conhecimento e com uma breve retrospetiva daquilo que culturalmente pode ser considerado parte do destino cultural dos scalabitanos, marcando uma etapa das Comemorações dos 150 anos em que Santarém ficou com o estatuto de cidade, atribuído em 24/12/1868, pela intervenção do Marquês de Sá da Bandeira”.

 No âmbito destas Comemorações, este é o contributo do FITIJ, associação cultural, com o apoio da CMS/Paaac, para que possamos ter uma noção global do itinerário cultural do concelho que poderá equacionar o nosso destino comum.

Aproveitando também esta oportunidade e enriquecendo a iniciativa, o FITIJ associa-se à dinâmica gastronómica da cidade, apresentando uma bebida no final da sessão de debate e depois uma ementa nova para reinventar os sabores tradicionais, num jantar na Sociedade Recreativa Operária, cerca das 19h30, acompanhando, mais uma vez, as sugestões dos cozinheiros João Barreto e João Garrido: Torricado, Bochechas de porco com batatas ao rebolão e o Manjar celeste, como sobremesa.

Os interessados devem inscrever-se no email  reservas.fitij@gmail.com o mais rápido possível, devido à lotação limitada da sala.

A finalizar, deixamos a nota de que ainda se pretende realizar um outro painel com outras intervenções que nos garantirão uma visão mais aproximada e com outras perspetivas do trabalho cultural desenvolvido neste período no concelho de Santarém.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Ribatejo Cool

Ir para Início