Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo passa a nível Amarelo

Em Sociedade

O Comando Operacional Distrital de Operações de Socorro de Santarém ativou o Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo no seu nível Amarelo.

A precipitação que se tem sentido em Portugal e também em Espanha, gerou um aumento considerável dos níveis hidrométricos e caudais do rio Tejo especialmente nos provenientes de Espanha e Rio Ocreza.


Em comunicado, o comandante Operacional Distrital de Operações de Socorro de Santarém, afirma que “Mantendo-se a situação atual, é previsível que os caudais lançados no Rio Tejo se mantenham acima dos 2000m3/s em Almourol, nas próximas horas”.

Desde as 02H00 do dia 20DEZ19 que os caudais estão acima dos 2000m3 constituindo-se como fator de risco muito significativo no galgamento das margens do Rio Tejo, tendo-se verificado hoje pelas 00H00 o maior caudal lançado pelo conjunto das barragens com influência no Rio Tejo com 3085m3/s.

Perante os dados verificados e as consequências previsíveis decidiu a Comissão Distrital de Proteção Civil ativar o Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo no seu nível Amarelo.

Efeitos Verificados:

Município de Constância
 Submersão do parque de estacionamento de Constância junto ao Rio Zêzere

Município de Santarém
• Submersão da E.N. 365 em Ponte do Alviela;
• Submersão da E.M. liga Ribeira de Santarém a Vale de Figueira;
• Submersão da E.N. 365 em Palhais/Ribeira de Santarém;

Previsão para as próximas horas: Município de Santarém
 Submersão do parque de estacionamento da Ribeira de Santarém

É espectável nas próximas horas, uma manutenção dos caudais do rio Tejo, mantendo-se assim a elevada probabilidade de cheia.

Neste sentido aconselha-se:
 Retire, das zonas confinantes, normalmente inundáveis, equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens;
 Leve os animais para locais seguros, retirando os rebanhos que se encontram nas zonas que serão provavelmente inundáveis;
 Não atravessar com viaturas ou a pé estradas ou zonas alagadas;
 Manter-se informado através dos Órgãos de Comunicação Social ou dos Agentes de Proteção Civil, desenvolvendo as ações necessárias para a sua proteção, da família e bens.


O CDOS de Santarém, em articulação com a Agência Portuguesa do Ambiente, IP, EDP produção, Serviços Municipais de Proteção Civil e Agentes de Proteção Civil, continuará a acompanhar a situação e emitirá outros comunicados que se entendam necessários.


Para mais informações, consulte os sítios na internet da ANPC (www.prociv.pt), Instituto Português do Mar e Atmosfera (www.meteo.pt), e APAmbiente (http://snirh.inag.pt/index.php?idMain=2&idItem=2)

Deixar uma resposta

Recentes de Sociedade

Ir para Início
%d bloggers like this: