fbpx

Acidentes rodoviários mataram 32 pessoas no distrito de Santarém em 2019

Em Sociedade

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) apresentou esta quinta-feira os dados da sinistralidade rodoviária de 2019, em que o distrito de Santarém surge em 8. lugar nacional em número de acidentes, em 7.º no número de mortes e em 3.º no número de feridos graves em acidentes rodoviários.

No balanço provisório da sinistralidade rodoviária de 2019, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) registou em Portugal, durante o ano passado, 472 vítimas mortais, menos 36 vítimas que em 2018. No distrito de Santarém, registaram-se 32 mortos, menos dois do que no ano anterior.

5.621 acidentes no distrito em 2019
Durante o ano de 2019, registaram-se 5.621 acidentes nas estradas do distrito de Santarém, com 32 vítimas mortais, menos 3 vítimas do que no ano de 2018, menos 11 mortes do que em 2017 e em linha com o valor registado em 2014, mas ainda acima do ano de 2016 que registou 24 mortes. Relativamente aos feridos, registaram-se em todo o país mais 147 feridos graves (+3%) e menos 1.569 feridos leves (-3%). No distrito de Santarém, registaram-se 219 feridos graves, mais 9 do que em 2018 e mais 29 do que em 2017.

As maiores descidas do número de vítimas mortais verificaram-se nos distritos de Setúbal (-37), Leiria (-16) e Vila Real (-10).
Segundo a ANSR, apesar desta redução, é necessário que todos os intervenientes na segurança rodoviária, desde os condutores, aos gestores de infraestruturas, às forças de segurança, entre outros, trabalhem em conjunto e para um objetivo comum, de forma a consolidar a diminuição da sinistralidade rodoviária até ao único número aceitável de vítimas mortais: zero. Todos somos responsáveis pela alteração de paradigma na abordagem da Segurança Rodoviária: a sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e pode ser evitada, salienta a ANSR.


Mais de 12 milhões de condutores fiscalizados
Relativamente à fiscalização rodoviária, durante o ano de 2019, foram fiscalizados pelas forças de segurança e pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) quer presencialmente, quer através de meios de fiscalização automática, 12,8 milhões de condutores.
Destas ações de fiscalização resultaram 1,4 milhões de infrações e a detenção de 27.216 condutores, dos quais 55% (14.999) apresentavam uma taxa de álcool superior à taxa crime.
Relativamente às infrações registadas, 47% (661.799) referem-se a excesso de velocidade, 10% à falta de inspeção (56.026), 6% à falta de seguro (34.333) e 6% ao uso do telemóvel (33.814).
Relativamente à condução sob o efeito do álcool, f
oram submetidos ao teste de pesquisa de álcool 1,7 milhões condutores, tendo 43.594 (2%) apresentado uma taxa de álcool superior à máxima permitida.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Sociedade

Ir para Início