Hospitais da região alcançam classificações de excelência clínica

1

Todos os hospitais da região obtiveram classificação de excelência clínica, destacando-se o Hospital de Vila Franca com classificação em 13 das 16 áreas clínicas avaliadas e os hospitais de Santarém e de Abrantes cada um com seis em 16 áreas classificadas de excelência clínica.

Todas as três unidades hospitalares do Centro Hospitalar do Médio Tejo obtiveram classificações de excelência clínica.

A unidade de Tomar alcançou a classificação de excelência clínica em 2 de 16 áreas, designadamente em Cirurgia de Ambulatório – Cirurgia de Ambulatório, com um nível de qualidade 2 (máximo de 3) e Cirurgia Geral – Cirurgia do Cólon, também com um nível de qualidade 2.

De resto, este hospital cumpre com todos os parâmetros de qualidade exigidos nas áreas de segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações, Focalização no Utente e Satisfação do Utente.

Já o hospital de Abrantes alcança a classificação de excelência clínica em 6/16 áreas: Cardiologia – Enfarte Agudo do Miocárdio (nível de qualidade 2), Ginecologia – Histerectomias (nível de qualidade 2); Neurologia – Acidente Vascular Cerebral (nível de qualidade 1); Obstetrícia – Partos e Cuidados Pré-natais (nível de qualidade 2); Ortopedia –Artroplastias Totais da Anca e do Joelho e Tratamento cirúrgico da fratura proximal do fémur (ambas com nível de qualidade 2); Pedriatria – Cuidados Neonatais (nível de qualidade 2); e Cuidados transversais – Avaliação da Dor Aguda (nível 2).

Esta unidade de saúde cumpre todos os parâmetros na Focalização no Doente e satisfação do Utente, mas não foi possível avaliar todos os parâmetros de qualidade exigidos para as áreas de Segurança do Doente e Adequação e Conforto das instalações.

A unidade de saúde de Torres Novas alcançou a classificação de excelência clínica em 1 de 16 áreas, nomeadamente a Pediatria – Pneumonia, com nível 2.

O Hospital Distrital de Santarém alcançou a classificação de excelência clínica em 6/16 áreas clínicas: Cardiologia – Enfarte Agudo do Miocárdio (nível de qualidade 2); Cirurgia Geral – Cirurgia do Cólon (nível 2); Ginecologia – Histerectomias (nível 2); Obstetrícia – Partos e Cuidados Pré-natais (nível 2); Pediatria – Cuidados Neonatais e Pneumonia, ambos com nível de qualidade 2 num máximo de 3. Este hospital cumpre com todos os parâmetros de qualidade nas áreas da segurança do Doente, Focalização no Utente e Satisfação do Utente. No entanto, na área da Adequação e Conforto das Instalações “não foi possível avaliar o cumprimentos dos padrões de qualidade exigidos”.

O Hospital CUF de Santarém obteve a classificação de excelência clínica em 2 de 16 áreas, com a Ortopedia – Artroplastias Totais da Anca e do Joelho com a classificação de qualidade máxima de 3.

O Hospital de Vila Franca de Xira conseguiu a classificação de excelência clínica em 13 de 16 áreas: Cardiologia – Enfarte Agudo do Miocárdio com nível de classificação 2; Cirurgia de Ambulatório – Cirurgia de Ambulatório com a classificação de qualidade máxima de 3; Cirurgia Geral – Cirurgia do Cólon, com nível 2; Cuidados Intensivos – Unidades de Cuidados Intensivos com a classificação de qualidade máxima de 3; Ginecologia – Histerectomias com classificação de qualidade 2; Neurologia – Acidente Vascular Cerebral com classificação de qualidade máxima 3; Obstetrícia – Partos e Cuidados Pré-natais com nível máximo de qualidade 2; Ortopedia – Artroplastias Totais da Anca e do Joelho nível de qualidade 2, e Tratamento cirúrgico da fratura proximal do fémur com nível 2; Pediatria – Cuidados Neonatais com nível máximo de qualidade 3, e Pneumonia com nível 2; e Cuidados Transversais – Avaliação da Dor Aguda com nível máximo de qualidade 3, e Tromboembolismo Venoso no Internamento, com nível de qualidade 2.

Este hospital cumpre com todos os parâmetros de qualidade exigidos nas áreas de segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações, Focalização no Utente e Satisfação do Utente.

 De acordo, com a Entidade Reguladora da Saúde, oitenta e quatro por cento dos hospitais avaliados em Portugal obtiveram classificação de excelência clínica, cumprindo os critérios para a prestação de cuidados de saúde de qualidade.

A segunda avaliação da Entidade Reguladora da Saúde de 2019, agora divulgada, incide num universo de 158 hospitais públicos, privados e do setor social.

Das 121 unidades que efetivamente obtiveram classificação na área dimensão da excelência clínica, 102 (84%) conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de classificação.

A avaliação e classificação no âmbito do projeto SINAS, da Entidade Reguladora da Saúde (ERS), não produz qualquer ‘ranking’ dos hospitais e não permite aferir a “melhor” unidade.

“As classificações traduzem o desempenho apenas nas áreas concretamente avaliadas em cada prestador, não se podendo fazer extrapolações sobre o desempenho do hospital como um todo, ou mesmo de serviços do hospital”, frisa a ERS.

A avaliação e classificação é feita em dois níveis. Num primeiro, confirma-se o cumprimento de critérios essenciais para a prestação de cuidados de saúde com qualidade. A passagem desse nível, permite acesso a um segundo nível de avaliação em que são atribuídos níveis de qualidade de I a III em cada uma das áreas de avaliação.

“De uma forma global, verifica-se a melhoria do cumprimento de alguns dos indicadores de processo associados a diferentes áreas cirúrgicas”, refere o regulador, acrescentando que também houve melhorias nos indicadores de obstetrícia, na área da neurologia relativa ao AVC ou na cirurgia de ambulatório.

A avaliação da excelência clínica agora divulgada incidiu sobre internamentos entre julho de 2017 e julho de 2018, refletindo o desempenho anual dos hospitais em várias áreas, como cirurgia vascular, cardiologia, cirurgia de ambulatório, cuidados intensivos, neurologia, obstetrícia, ortopedia ou pediatria.

1 comentário

Deixe o seu comentário

por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva aqui o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Fechar
Exit mobile version