fbpx

Comissão Europeia lança consulta pública à escala da UE sobre o Plano Europeu de Luta contra o Cancro

Em Atual/Saúde
Hoje, por ocasião do Dia Mundial contra o Cancro, a Comissão Europeia lança uma consulta pública à escala da UE sobre o Plano Europeu de Luta contra o Cancro. A consulta irá contribuir para definir o plano, identificar áreas fundamentais e explorar ações futuras.
Todos os anos, 3,5 milhões de pessoas são diagnosticadas com cancro na União Europeia. Trata-se de uma questão de saúde grave que afeta diretamente 40 % dos cidadãos da UE e tem um impacto importante nos sistemas de saúde e nas economias europeias. No entanto, atendendo a que cerca de 40 % dos casos de cancro são devidos a causas evitáveis, o âmbito de ação e o potencial para reduzir o número de casos na UE são enormes.
Tal como anunciado pela presidente Ursula von der Leyen nas suas Orientações Políticas e tal como consta da carta de missão da comissária para a Saúde e a Segurança dos Alimentos, Stella Kyriakides, a Comissão irá apresentar um plano europeu para reduzir o sofrimento causado pela doença e apoiar os Estados-Membros na melhoria do controlo do cancro e da prestação de cuidados.
A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou: «Todas as pessoas têm um amigo, um colega ou um familiar que passou por isto. Todos foram confrontados com o mesmo sentimento de tristeza e impotência. Mas há algo que podemos fazer, individual e coletivamente, tanto a nível dos Estados-Membros como a nível da União Europeia. Claro que não começamos do zero, mas podemos fazer muito mais do que já está a ser feito. Hoje, no Dia Mundial contra o Cancro, começamos a trilhar um caminho comum que irá conduzir ao Plano Europeu de Luta contra o Cancro. Juntos podemos fazer a diferença: promovendo a prevenção e a investigação, implementando uma nova estratégia de dados e garantindo a igualdade de tratamento em toda a Europa.»
Por seu lado, Margaritis Schinas, vice-presidente da Promoção do Modo de Vida Europeu, declarou: «O cancro diz-nos respeito a todos, de uma forma ou de outra. Promover o nosso Modo de Vida Europeu também significa defender os valores, a dignidade e as sinergias; tem de ser esta a base da política de luta contra o cancro. O Plano Europeu de Luta contra o Cancro representa um grande esforço para que tal aconteça, e dá início a uma nova era na prevenção do cancro e nos cuidados oncológicos. Cabe-nos moldar, em conjunto, um Plano de Luta contra o Cancro que seja centrado no doente e dê esperança e oportunidades de vida a todos os doentes, às suas famílias e aos seus amigos na Europa. Podemos ganhar esta batalha!»
Stella Kyriakides, comissária responsável pela Saúde e a Segurança dos Alimentos, afirmou: «O cancro é um domínio em que os cidadãos esperam que a UE tome medidas decisivas. Uma Europa que ambiciona ir mais longe é uma Europa que ouve os seus cidadãos e se preocupa com o seu bem-estar. É este o objectivo do Plano Europeu de Luta contra o Cancro: fazer a diferença para os cidadãos, os doentes e os sistemas de saúde da Europa. O sucesso do plano irá depender da plena participação dos cidadãos, dos doentes oncológicos, das partes interessadas e dos intervenientes a nível europeu, nacional e local. Convido todos a participar e a tornar este plano tão ambicioso e eficiente quanto possível. Juntos podemos fazer a diferença.»
O Plano Europeu de Luta contra o Cancro, que será apresentado antes do final deste ano, irá propor ações em cada uma das fases principais da doença:
Medidas de prevenção: A prevenção é a forma mais fácil e eficaz de reduzir o cancro na UE. As medidas de prevenção podem incluir um melhor acesso a regimes alimentares saudáveis e a generalização da vacinação; medidas destinadas a reduzir os fatores de risco ambiental, como a poluição e a exposição a produtos químicos; investigação e sensibilização do público.
Deteção e diagnóstico atempados: As medidas destinadas a melhorar a possibilidade de melhores resultados de saúde através do diagnóstico precoce podem incluir o aumento da cobertura da população-alvo para o rastreio do cancro e uma maior utilização de soluções digitais e de apoio técnico aos Estados-Membros.
Tratamento e cuidados: As medidas destinadas a melhorar os resultados dos cuidados e do tratamento do cancro podem incluir a melhoria do acesso a um tratamento de alta qualidade e a adoção de novas terapias; medidas destinadas a assegurar a disponibilidade e a acessibilidade dos medicamentos essenciais; inovação e investigação.
Qualidade de vida: As medidas para assegurar a melhor qualidade de vida possível aos doentes, sobreviventes e cuidadores podem incluir medidas para melhorar a reintegração profissional e prevenir a discriminação; a prestação de cuidados paliativos e a transferência de boas práticas.
A Comissão Europeia lança hoje uma consulta pública à escala da UE no evento intitulado «Plano Europeu de Luta contra o Cancro: ambicionemos mais», a ter lugar no Parlamento Europeu.
O evento, que será aberto pela presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, reúne cidadãos, doentes de cancro e sobreviventes, que partilharão os seus testemunhos pessoais, bem como um vasto leque de partes interessadas, desde dirigentes políticos a profissionais de saúde e ONG.

Próximas etapas
O objetivo da consulta pública consiste em permitir que os cidadãos e as partes interessadas possam contribuir e expressar as suas opiniões sobre as melhores formas de abordar esta questão na UE. Os resultados da consulta pública irão contribuir para a definição do Plano Europeu de Luta contra o Cancro e ajudarão a identificar os domínios e o âmbito das ações futuras.
A consulta terá a duração de 12 semanas. Para além da consulta pública, a Comissão lança hoje também uma consulta sobre o roteiro do plano, que terá a duração de quatro semanas. Até julho, serão discutidos com os Estados-Membros elementos específicos do plano e realizadas consultas específicas com as partes interessadas. O Plano Europeu de Luta contra o Cancro será apresentado antes do final do corrente ano.

Um novo caso a cada 9 segundos
A luta contra o cancro é de crucial importância para o futuro da Europa. Um novo caso de cancro é diagnosticado na UE a cada nove segundos. O cancro é a segunda principal causa de morte, após as doenças cardiovasculares.
Além disso, a incidência do cancro representa um encargo enorme para os sistemas de saúde e sociais, exerce pressão sobre os orçamentos públicos e tem um impacto negativo na produtividade e no crescimento da economia, incluindo a saúde da mão de obra da UE. Trata-se de uma doença complexa, causada por uma combinação de múltiplos fatores, incluindo a predisposição genética, as influências ambientais ou ligadas ao estilo de vida e os agentes infecciosos. Em 2035, os casos de cancro podem duplicar e, se não forem tomadas medidas, esta poderá tornar-se a principal causa de morte na União Europeia. No entanto, 40 % de todos os casos de cancro podem ser evitados, se forem implementadas as recomendações para reduzir o risco — tal como especificado no Código Europeu contra o Cancro.

Deixar uma resposta

Recentes de Atual

Ir para Início
%d bloggers like this: