Comissão Europeia lança a coligação mundial para a biodiversidade

Em Atual
Por ocasião do Dia Mundial da Vida Selvagem, a Comissão Europeia lançou hoje no Mónaco uma nova coligação mundial para a biodiversidade. Através desta campanha de comunicação, a Comissão apela a uma maior mobilização e sensibilização para a necessidade de proteger a biodiversidade.
Na perspetiva da crucial 15.ª reunião da Conferência das Partes (CdP 15) da Convenção sobre a Diversidade Biológica, que se realizará em outubro de 2020, a Comissão apela a que todos os parques nacionais, aquários, jardins botânicos, jardins zoológicos e museus de ciência e de história natural a nível mundial unam forças e ajudem a aumentar a sensibilização pública para a crise da natureza.O comissário europeu responsável pelo Ambiente, Oceanos e Pescas, Virginijus Sinkevičius, declarou: «A crise da biodiversidade é um elemento importante das alterações climáticas. A proteção e regeneração da biodiversidade não só permitirão salvaguardar a natureza para as gerações futuras como também contribuirão para ajudar a combater as alterações climáticas e evitar consequências negativas para a nossa alimentação, saúde e economia. Precisamos urgentemente de tomar medidas a nível mundial, uma vez que, se não o fizermos, só teremos a possibilidade de ver a natureza nos jardins zoológicos e nos jardins botânicos, o que representaria um fracasso de toda a humanidade». Com as suas coleções e programas de ensino e conservação, os parques nacionais, os aquários, os jardins botânicos, os jardins zoológicos e os museus de ciência e de história natural são os melhores embaixadores para sensibilizar a opinião pública para os dramáticos efeitos da crise da biodiversidade. A Comissão incentiva também as autoridades nacionais, regionais e locais, as organizações não governamentais, as empresas, os cientistas e os cidadãos individuais a participarem na sensibilização na perspetiva da Cimeira das Nações Unidas sobre a Biodiversidade (CdP 15).Durante a CdP 15, as 196 partes na Convenção das Nações Unidas sobre a Diversidade Biológica deverão adotar um novo quadro mundial para a proteção e regeneração da natureza, tão necessário quanto o Acordo de Paris, centrado na urgência climática. Na sequência da cimeira, a coligação para a biodiversidade centrará a sua atenção em ações coordenadas, com um impacto tangível e que permitam inverter a trajetória de perda de biodiversidade. Esta iniciativa é coerente e plenamente conforme com outras iniciativas e coligações, como por exemplo a Coligação de Elevada Ambição, liderada pela Costa Rica.ContextoA coligação mundial para a biodiversidade complementará a muito bem-sucedida coligação «World aquariums #ReadyToChange to #BeatPlasticPollution», lançada em 2017 e no âmbito da qual mais de 200 aquários em 41 países diferentes desenvolveram atividades de sensibilização a nível mundial para o problema do lixo marinho.O Museu Oceanográfico do Mónaco acolheu hoje uma cerimónia para assinalar tanto este lançamento como a transferência da gestão da coligação de aquários da Comissão Europeia para o Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA), no âmbito da campanha Mares Limpos.Ainda este mês, a Comissão Europeia irá anunciar a nova Estratégia da UE para a Biodiversidade, com a intenção de proteger e regenerar a natureza na Europa, e especificará as ambições da UE para a CdP 15 da Biodiversidade. Um grande evento de participação pública, a Semana Verde da UE, de 1 a 5 de junho de 2020, visará também mobilizar a sociedade para a natureza e a biodiversidade através de dezenas de eventos em toda a Europa, bem como de conferências em Lisboa e em Bruxelas.Um relatório de 2019 da Plataforma Intergovernamental Científica e Política sobre a Biodiversidade e os Serviços Ecossistémicos (IPBES) mostra que a natureza está a declinar a nível mundial a um ritmo sem precedentes na história da humanidade. O ritmo de extinção de espécies está a acelerar, estando em risco de extinção até um milhão de espécies e prevendo-se graves consequências para os seres humanos em todo o mundo. Significa isto que os ecossistemas deixariam de poder sustentar a humanidade, através do fornecimento de água, alimentos, ar puro e madeira, e que seriam profundamente afetados outros serviços por eles prestados, como a polinização, a regulação do clima, a formação do solo e o controlo de inundações.Para mais informaçõesTexto da declaração: https://ec.europa.eu/environment/pdf/biodiversity_coalition_pledge.pdfColigação «Aquários do mundo contra a poluição pelo plástico», de 2018Para obterem informações pormenorizadas, as instituições interessadas podem contactar o endereço ec-biodiversity-coalition@ec.europa.euSítio Web do Dia Mundial da Vida Selvagem

Deixar uma resposta

Recentes de Atual

Ir para Início
%d bloggers like this: