fbpx

Marinhave em Benavente autorizada a retomar provisoriamente a laboração

Em Empresas

A empresa Marinhave, em Benavente, onde foram confirmados 20 trabalhadores com a covid-19, foi autorizada a restabelecer provisoriamente a laboração, condicionada à proibição da entrada de funcionários que tiveram contacto com potenciais infetados.

Em comunicado, a proteção civil municipal de Benavente afirma que a autorização provisória foi concedida pela delegada de saúde, podendo a Marinhave, unidade de produção de patos com cerca de 200 trabalhadores, retomar a atividade de forma condicionada.

A unidade foi encerrada na passada sexta-feira depois de confirmada a infeção pela covid-19 em dois trabalhadores, número que subiu para 20 no balanço divulgado na segunda-feira.

A delegada de saúde ordenou a paragem da laboração na sexta-feira, tendo a empresa mantido apenas o apoio administrativo, a manutenção e os elementos necessários para cuidar dos animais existentes na unidade, disse fonte da proteção civil municipal à Lusa.

Além dos trabalhadores desta empresa, estão confirmados mais sete casos da covid-19 no concelho, dois dos quais estão internados em hospitais fora do município, quatro, oriundos do estrangeiro, estão em isolamento profilático e um em isolamento social.

Há ainda 80 casos suspeitos e 27 pessoas em vigilância ativa (sem confirmação laboratorial) em isolamento domiciliário.

A Câmara de Benavente criou três Zonas de Concentração e Apoio à População (ZCAP), onde se encontram, numa, os trabalhadores da Marinhave com a covid-19 e nas restantes 30 pessoas, no âmbito das medidas de controlo da disseminação da doença na comunidade.

O presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho, disse na segunda-feira à Lusa que o foco na Marinhave surgiu em trabalhadores de nacionalidade paquistanesa, tendo sido iniciado de imediato um processo de identificação de toda a rede de contactos da comunidade residente no concelho, com cerca de meia centena de pessoas, para identificar possíveis casos de contaminação.

O autarca afirmou que as três ZCAP foram criadas para isolar todos os casos positivos e também todas as pessoas que com eles tiveram contactos.

A empresa de plásticos e papel Silvex, também situada em Benavente, suspendeu a laboração por um dia para descontaminação, no passado dia 23, depois de ter sido confirmado um caso da covid-19 entre os trabalhadores, tendo os 18 funcionários que trabalhavam no mesmo pavilhão sido colocados de quarentena.

Carlos Coutinho afirmou que, além deste trabalhador, que reside no concelho de Almeirim, também no distrito de Santarém, mais nenhum funcionário da Silvex testou positivo até ao momento.

Deixar uma resposta

Recentes de Empresas

Ir para Início
%d bloggers like this: