fbpx

Empresário de Santarém é o responsável pela intervenção do Chega na internet

Em Sociedade

Revista Visão revela na sua edição de hoje que o partido Chega, de André Ventura, tem mais de 20 mil perfis falsos nas redes sociais para aumentar o alcance dos seus conteúdos. E segundo a “Visão”, o responsável executivo pela intervenção do CHEGA na internet é Gerardo Pedro, líder da empresa Kriamos de Santarém (com ligações à empresa ALCIAN Soluções, detida por figuras próximas ao regime angolano e ao #MPLA). É a ele que cabe a “produção de conteúdos” e a gestão das redes sociais.

 A VISÃO desta semana desvenda os segredos da nova direita radical populista: como o Chega extremou a sociedade e pode beneficiar da crise pandémica? Quem são os seus membros, que causas defendem e o que escondem?

Gerardo Pedro, de 37 anos, é dirigente nacional do Chega com a “pasta” da gestão de conteúdos na internet. Lidera desde Santarém a Kriamos, empresa de web design e de produtos digitais responsável pelos websites do CNEMA, do jornal Correio do Ribatejo, da revista É Ribatejo e da Adega de Alcanhões, entre outros clientes da região.

Sobre a sua ligação à empresa Alcian Soluções detida por figuras do regime angolano e ao MPLA, Gerardo Pedro declarou à Visão: “Sou de uma família de retornados e tenho amigos em Angola. Ajudei a montar a empresa e a desenvolver a presença nas redes, nada mais“.

Já quanto ao seu papel na intervenção do Chega na internet e nas redes sociais, Gerardo Pedro justificou à Visão: “O André pediu-me ajuda, e a minha dedicação é apenas política“.

Por isso, Gerardo Pedro trabalha dia e noite para inundar as redes com a propaganda do Chega. “Tivemos cerca de 1.000 novos subscritores por dia no Youtube antes da pandemia, agora são 3.000 a 5.000 por semana”, garante à Visão, negando o uso de “rebanhos” de perfis falsos para replicar conteúdos e visualizações. Ou seja, usar contas falsas para inflacionar o alcance das publicações oficiais do Chega, para elogiar André Ventura e o partido, para insultar e ameaçar adversários; e criar “conteúdos” para promover o ódio e a desinformação na internet.

Em contato com o Mais Ribatejo, Gerardo Pedro garante que não criou quaisquer perfis falsos. “Desmenti isso ao jornalista da Visão – Não há um único perfil falso. Faço a gestão de todas as redes sociais e dos conteúdos do CHEGA e não usamos um único perfil falso, juro pela saúde da minha filha”, declara Gerardo Pedro ao Mais Ribatejo. “De resto, seria impossível do ponto de vista humano gerir 20 mil perfis e essa acusação é baseada epanas no que um especialista disse, não tem qualquer fundamento”.

Certo é que na sua página no Facebook, o Chega afirma que é o maior canal de Youtube em Portugal (partidos políticos), com 8.555.007 milhões de visualizações e mais de 50.000 mil subscritores.

Assim, o CHEGA, partido com representação institucional na Assembleia da República, financiado pelo Estado, através de uma subvenção pública superior a 150 mil euros anuais, recorre de forma organizada a táticas já usadas pela extrema-direita internacional, de Bolsonaro a Trump.

“CHEGA: Os segredos do pregador Ventura” é o tema principal de capa da revista VISÃO desta quinta-feira. Uma grande investigação em que dá conta dos lóbis evangélicos, as ligações ao setor imobiliário, as influências neofascistas, o percurso controverso de dirigentes do partido de extrema-direita e as milícias digitais dirigidas pelo empresário de Santarém. Tudo para ler na edição da Visão que está hoje nas bancas.

3 Comments

  1. SE FOSSE SO’ ESTE LOBO VESTIDO COM PELE DE CORDEIRO O RECTANGULO AINDA SE SAFAVA MAS COMO SAO AOS MILHARES O CASO MUDA DE FIGURA. VIVE – SE NUMA PAZ PODRE QUE O CORONAVIRUS ACELEROU.

    RB – NORDIC

Deixar uma resposta

Recentes de Sociedade

Ir para Início
%d bloggers like this: