fbpx

Empresário e dirigente nacional do Chega usa direito de resposta sobre perfis falsos nas redes sociais

Em Sociedade

Recebemos da empresa Kriamos, do empresário de Santarém e dirigente nacional do partido CHEGA, Gerardo Pedro, o seguinte pedido de publicação do Direito de Resposta em relação à notícia publicada esta tarde no MAIS Ribatejo, fazendo referência à investigação que faz a capa da Revista VISÃO:

“A Revista Visão revelou na sua edição publicada no dia 21 de maio de 2020 que Gerardo Pedro, de 37 anos, dirigente nacional do partido Chega com a “pasta” da gestão de conteúdos na internet teria ligações à sociedade Alcian Soluções, uma empresa de Luanda, sendo esta detida por várias figuras da simpatia do regime Angolano, segundo a publicação.

Foi também revelado na mesma edição que o mesmo estaria por de trás de vários perfis falsos para conseguir aumentar o número de subscritores no canal de Youtube do Partido Chega.

Ora, sendo todas estas afirmações falsas e apesar de Gerardo Pedro ter negado todo o conteúdo da noticia por este ter sido manipulado e empolado, a revista Visão não se inibiu de o publicar, além disso e aproveitando a corrente o jornal MAIS RIBATEJO veio adicionar mais ficção ao enredo que já de si era descabido e publicou a notícia fazendo afirmações do que tinha sido publicado pela Revista Visão, divulgando inclusive os clientes para quem a empresa Kriamos presta serviços, pondo assim em causa o seu trabalho e dos que trabalham com ele. Ora não podemos atribuir a este comportamento outro motivo se não a busca por protagonismo.

Contudo e por tudo o que foi publicado, Gerardo Pedro gostaria de acrescentar mais uma vez que não tem qualquer tipo de ligação ao regime angolano e inclusive foi noticiado também que a sociedade Alcian Soluções “não dá sinais de vida há uns anos”, e que não existem quaisquer perfis falsos feitos por ele, conforme foi dito pelo mesmo ao jornal MAIS RIBATEJO “ …Seria impossível do ponto de vista humano gerir 20 mil perfis…”.

Apesar de Gerardo Pedro ter dito que tudo o que vinha acusado era mentira foram publicadas essas notícias onde o mesmo gostaria de se ver esclarecido em relação à veracidade das mesmas”.

Nota da Redação: O Direito de resposta é o direito de retificação previsto no artigo 37.º|4 da Constituição da República Portuguesa (CRP), os artigos 24.º a 27.º da Lei de Imprensa (LI), os artigos 65.º a 69.º da Lei da Televisão e dos Serviços Audiovisuais a Pedido (LTV), os artigos 59.º a 63.º da Lei da Rádio (LR) e os artigos 24.º|1 j), 59.º e 60.º dos Estatutos da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (Est.ERC).

Deixar uma resposta

Recentes de Sociedade

Ir para Início
%d bloggers like this: