fbpx

Nersant promoveu sessão online sobre instrumentos financeiros disponíveis para as empresas

Em Empresas

Com o objetivo de informar as empresas sobre os instrumentos públicos de financiamento disponíveis para a sua capitalização, a NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém organizou na sexta-feira, 5 de junho, uma sessão online, em parceria a IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento.

A presidente da NERSANT, Salomé Rafael abriu este webinar sobre “Instrumentos Financeiros de Desenvolvimento”, salientando o “interesse e a oportunidade de divulgarmos os instrumentos financeiros ao dispor das empresas”, num momento em que vivemos um período verdadeiramente extraordinário, com a atual situação sanitária a provocar um desafio sem precedentes à economia nacional, que exigirá uma enorme capacidade de resiliência ao tecido empresarial.

A presidente da NERSANT referiu a importância dos instrumentos financeiros para as empresas, atendendo a que os próximos meses requererão um grande esforço de tesouraria às empresas, para fazer face aos compromissos assumidos e para que possam recuperar os normais níveis de atividade económica.

Coube a Pedro Magalhães, da direção de negócios da IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento, fazer a apresentação da Instituição e dos Instrumentos Financeiros de Desenvolvimento disponíveis para apoiar as empresas.

A IFD é uma sociedade financeira pública que tem como objetivo principal direcionar recursos financeiros públicos, preferencialmente alavancados por cofinanciamento privado, para que PME “viáveis” capitalizem os balanços e financiem os investimentos, no desenvolvimento da sua atividade em setores de bens ou serviços transacionáveis, nas fases de arranque, crescimento e transferência de propriedade.

Criada em 2014, a IFD tem como missão conceber, estruturar e operacionalizar soluções de financiamento que permitam colmatar falhas de mercado no acesso das PME portuguesas ao financiamento.
A IFD, entidade grossista, não concorre com as restantes instituições financeiras na oferta de produtos financeiros dirigidos às PME, mas atua em complementaridade com a banca nacional e com outros parceiros como as sociedades de garantia mútua. A IFD não tem balcões, mas recorre a um conjunto alargado de parcerias, nomeadamente bancos e instituições financeiras, que funcionam como intermediários, para fazer chegar o dinheiro às empresas. 

A IFD gere um conjunto de três fundos, no montante de 600 milhões de euros, e disponibiliza atualmente um conjunto de linhas de apoio às empresas.

Linhas de financiamento a empresas

Um dos instrumentos financeiros da IFD é a linha Business Angels, destinada ao financiamento nas fases de criação e de arranque de empresas com projetos inovadores e reforço da capacitação empresarial. A IFD está atualmente a trabalhar com 54 entidades business angels que estão a financiar mais de 200 projetos de empresas.

A IFD disponibiliza também a linha de Fundos de Capital de Risco, destinada a apoiar investimentos de capital de risco em startup e PME, dotando-as de meios para desenvolverem estratégias de inovação, crescimento e internacionalização.

Outro instrumento financeiro oferecido pela IFD é a linha de Coinvestimento 200M, que pode funcionar em complementaridade com as anteriores linhas, mas destinada a empresas já com provas dadas. Trata-se de coinvestimento com partilha de risco por exemplo em PME tecnológicas com alto potencial de crescimento, em parceria com investidores qualificados. Esta linha financia 50% do projeto, ficando com igual percentagem do capital da empresa, mas assumindo-se como sócio silencioso (silent partner), e ao fim de 4 a 6 anos, o investidor poderá comprar a quota do Fundo 200 M. Esta linha possui um fundo de 200 milhões de euros, dos quais ainda tem 100 milhões disponíveis.

O IFD oferece ainda as linhas Portugal Tech e Portugal Growth. O Portugal Tech tem como objetivo atrair capital privado e institucional para investimento em empresas de base tecnológica sediadas em Portugal. O Portugal Tech é um fundo de fundos de capital de risco, com foco em fundos de transferência de tecnologia, venture capital, capital-expansão.

Por seu lado, o Portugal Growth é um programa para ajudar ao crescimento e capitalização das pequenas e médias empresas nacionais, apoiando a sua capacitação e capitalização. É dirigido a projetos de internacionalização, transformação digital e inovação empresarial, entre outros. O Portugal Growth é um fundo de fundos de capital de risco, com foco em fundos de capital-expansão, buyouts, aplicando, entre outras, estratégias de internacionalização das empresas.

As empresas interessadas em explorar parcerias com estes fundos podem consultar o site da IFD, onde encontram uma lista de parceiros disponíveis e direcionados para o setor adequado a cada empresa.

Linhas de crédito vantajosas

No que respeita a instrumentos de crédito, o IFD oferece a Linha Capitalizar Midcaps, em parceria com o Novo Banco e o Millennium, com um fundo de 200 milhões de euros. Disponibiliza créditos de 12 anos e até 15 anos, com carências de capital alargadas.

Na área das garantias, o IFD dispõe da Linha Capitalizar Mais, com spreads limitados (1,86% para baixo risco até 3,25% para alto risco, mas pode ser inferior a 1%), e um financiamento de garantia de 80% do crédito pelo IFD e os restantes 20% pela garantia Mútua, no caso do Ribatejo a GARVAL. Esta linha alargou o foco também às operações de reforço de tesouraria e de fundos de maneio das empresas, se estiverem acoplada a algum investimento. Este instrumento financeiro compara favoravelmente com as linhas covid-19, nomeadamente na cobertura total de comissões e prazos mais alargados.

As empresas interessadas em beneficiar desta linha podem contactar os bancos, e devem preferivelmente consultar mais do que um.

Leave a Reply

Recentes de Empresas

Ir para Início
%d bloggers like this: