OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Morreu o historiador Veríssimo Serrão

Em Sociedade
O historiador na inauguração da estátua em sua homenagem em Santarém.

O historiador Joaquim Veríssimo Serrão, de 95 anos, faleceu na noite desta sexta-feira, 31 de julho, numa residência assistida do Valle dos Reis, em Santarém, onde se encontrava internado há cerca de uma década.

Professor catedrático jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Joaquim Veríssimo Serrão foi reitor da Universidade de Lisboa entre 1973 e 1974, ano em que foi exonerado, e desempenhou também o cargo de presidente da Academia Portuguesa de História entre 1975 e 2006.

Natural de Tremês, concelho de Santarém, licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas em Coimbra, em 1948. Foi leitor de Cultura Portuguesa na Universidade de Toulouse (1950-60), onde se doutorou em 1953, vindo ainda a doutorar-se em Ciências Históricas na Universidade de Coimbra (1956). Entre 1967 e 1972 dirigiu o Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, em Paris. Ingressou como catedrático na Faculdade de Letras de Lisboa em 1972.

Foi, de 1980 a 1984, presidente da Comissão Instaladora do Instituto   Politécnico de Santarém.

Recebeu o Prémio Príncipe das Astúrias de Ciências Sociais, em 1995.

É pai do historiador da Arte Vítor Serrão e da filósofa Adriana Veríssimo Serrão.

O historiador com os filhos na inauguração da estátua em sua homenagem junto ao antigo Presídio

Da sua obra destaca-se a História de Portugal, da sua inteira autoria, publicada desde 1977 até 2011, em 19 volumes. É ainda autor do livro “Marcelo Caetano: Confidências no Exílio” , entre outros.

Doou a sua biblioteca ao Município de Santarém em 2009, dando origem à criação em 2011 do Centro de Investigação Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, tendo como objectivo a promoção da investigação nas áreas das Ciências Sociais e Humanas.

Inaugurado em 2012, o Centro de investigação Veríssimo Serrão está instalado na Casa de Portugal e de Camões (antigo Presídio de Santarém), que acolhe os seus 30 mil livros, medalhas, condecorações, quadros e centenas de documentos pertencentes ao seu arquivo pessoal.

2 Comments

Deixar uma resposta