fbpx

Presidente da Câmara visitou a Maternidade do Hospital de Abrantes, agora com mais competências e mais capacidade de intervenção

Em Saúde

Mais espaço, mais nascimentos (62 desde que a valência regressou a Abrantes), mais segurança para utentes e técnicos e profissionais de saúde motivados deixaram o presidente da Câmara muito satisfeito com o que viu. “Podemos afirmar que Abrantes tem uma maternidade de excelência e que é uma referência a nível nacional”, destacou Manuel Jorge Valamatos.

O presidente da Câmara Municipal, Manuel Jorge Valamatos, visitou hoje o piso 5 do Hospital de Abrantes, agora totalmente ocupado pela Maternidade, serviços de Ginecologia e Obstetrícia, após o regresso destas valências à unidade de origem, encerrando o período de transferências de serviços realizada por força do período mais crítico do plano de contingência à Covid-19.

A visita foi guiada pelo Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), Carlos Andrade.

Mais espaço, mais nascimentos (62 desde que a valência regressou a Abrantes), mais segurança para utentes e técnicos e profissionais de saúde motivados deixaram o presidente da Câmara muito satisfeito com o que viu. “Foi honrado o compromisso assumido pelo Conselho de Administração do CHMT para o regresso da Maternidade e da Ortopedia a Abrantes, assim que estivessem reunidas condições de segurança”.

Manuel Jorge Valamatos fez notar a capacidade do CHMT para executar obras no espaço da Maternidade, numa fase particularmente exigente para as unidades hospitalares, criando condições para mais competências e mais capacidade de intervenção. “Podemos afirmar que Abrantes tem uma maternidade de excelência e que é uma referência a nível nacional”, destacou.

O presidente da Câmara manifestou “confiança” na comunidade de Abrantes e nos profissionais de saúde, renovando o compromisso do Município na continuidade do trabalho de parceria com o CHMT, na procura das melhores condições a favor das populações: “Precisamos de estar unidos e juntos”.

Com as obras de requalificação ficaram reunidas condições para que os partos decorram com a presença de um acompanhante, sendo, a nível nacional, uma das primeiras unidades hospitalares com esta valência do país a faze-lo. O acompanhante é testado e, com resultado negativo ao teste, poderá permanecer no quarto junto da grávida até ao parto. Durante este período as saídas do quarto estão restringidas ao estritamente necessário, tendo ao seu dispor um espaço específico, com excelentes condições.

Pese embora se perspetive um inverno “difícil e exigente”, o presidente do Conselho de Administração do CHMT anunciou que, “não se prevê em nenhuma circunstância nova transferência de valências para as outras unidades do centro hospitalar porque se fizeram e vão continuar a fazer-se investimentos na área da saúde hospitalar”.

Carlos Costa Andrade deixou ainda uma palavra de confiança aos utentes do CHMT e à população em geral, através de uma constatação e de um apelo coletivo: “Estaremos mais bem preparados. Estamos a fazer um trabalho muito grande para uma situação que pode ser difícil, mas posso garantir que o que aí vem poderá ser menos complexo se todos nós continuarmos a fazer as medidas de auto-proteção e de proteção dos que nos são próximos”. Graças aos bons exemplos de cidadania, em geral, as unidades do CHMT foram das primeiras unidades hospitalares a reabrir as visitas aos doentes internados.

Carlos Andrade Costa, presidente do Conselho de Administração do CHMT, sublinhou o reforço das equipas de profissionais de saúde no âmbito da reestruturação que foi concretizada face ao plano de Contingências à Covid-19. “Temos uma logística bastante mais sofisticada do que aquilo que é normal e essa nova reorganização dos Serviços só é possível se as equipas forem reforçadas. Desde o início da pandemia entraram nesta Casa mais de 100 novos profissionais”.
Carlos Andrade Costa alertou ainda para a época que se aproxima, frisando a necessidade de “todos protegerem todos”. O presidente do Conselho de Administração do CHMT garantiu que a Instituição está preparada para o “primeiro inverno pandémico” mas reforçou a importância de cada um fazer o seu papel.

“Continuamos a preparar-nos, continuamos a fazer investimentos. É importante que as pessoas tenham a consciência que o inverno que aí vem é um inverno muito difícil e exigente para todos. O CHMT tem feito um trabalho muito grande de preparação para o inverno que aí vem. E isso permite-me dizer que o inverno será menos complexo se todos nós continuarmos a fazer o que temos feito até agora”, disse.
Carlos Andrade Costa deixou um apelo para que os cidadãos cumpram as medidas de proteção individuais e não descurem na proteção dos outros. “Se nós nos protegermos uns aos outros o inverno será menos difícil. Se formos os primeiros a cuidar de nós, a cuidar dos outros e se estivermos disponíveis uns para os outros, certamente que o inverno se passará bem mas, para isso tem de haver este compromisso de todos”, reforçou o presidente do Conselho de Administração do CHMT.
Recorde-se que os Serviços de Ginecologia, de Obstetrícia e a Unidade de Cuidados Neonatais do CHMT, regressaram à Unidade Hospitalar de Abrantes no passado mês de julho e, neste quase um mês de retorno, a Maternidade registou 62 partos.
De sublinhar que com as obras de requalificação executadas durante os últimos meses, no piso que acolhe os Serviços  Ginecologia, de Obstetrícia e a Unidade de Cuidados Neonatais (Maternidade), na Unidade Hospitalar de Abrantes, ficaram reunidas as condições que permitem que os partos decorram com a presença de um acompanhante. 

Leave a Reply

Recentes de Saúde

Ir para Início
%d bloggers like this: