fbpx

Outubro marca o regresso da atividade regular do Cineclube de Santarém

Em Ribatejo Cool

Depois da sessão especial de ORDEM MORAL no passado dia 30 de setembro, o Cineclube de Santarém traz ao ecrã do Teatro Sá da Bandeira um mosaico do mundo em conflito latente, expondo as desigualdades, guerras e incongruências de um século em profunda transformação social.

Da Síria à Palestina, passando pela Reboleira e pelos bairros sociais de Paris, o Cineclube traz 4 filmes aclamados internacionalmente.

Filme “Para Salma” no dia 7 de outubro

A 7 de outubro assistimos ao conflito na Síria através do olhar de Waad al-Kateab, uma jovem apanhada no meio do terrível conflito de Alepo. De câmara na mão, entre 2012 e 2017, ela filma tudo à sua volta e transforma essas imagens num documentário profundo e emocionante que é uma carta de amor à sua filha, Sama. O filme PARA SAMA ganhou o prémio L´Oeil d´Or no Festival de Cinema de Cannes, o BAFTA para melhor documentário e foi nomeado ao Óscar na mesma categoria.

Filme O Fim do Mundo no dia 14 de outubro

O bairro da Reboleira, no concelho da Amadora, chega ao nosso ecrã no dia 14 de outubro, pelo olhar de Basil da Cunha, realizador luso-suíço, habitante do bairro, que ganhou o prémio de melhor longa-metragem no Festival Indie Lisboa 2020 com o filme O FIM DO MUNDO. Com ele mergulhamos na realidade do bairro da periferia da capital e na história de vida de Spira, um jovem de 18 anos que passou os últimos oito a cumprir pena numa casa de correção.

Filme “Os Miseráveis” no dia 21 de outubro

Chegamos aos subúrbios de Paris, a Montfermeil, a 21 de outubro, através do filme OS MISERÁVEIS, que se debruça sobre as guerras de poder nos bairros problemáticos e põe em evidência a violência policial e abuso de poder.
O filme, primeira longa-metragem do realizador francês de ascendência malaiana Ladj Ly, competiu pela Palma de Ouro em Cannes, onde recebeu o prémio do Júri, e foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme Internacional.


“O Paraíso, provavelmente” no dia 28 de outubro

Terminamos o mês na Palestina, num registo totalmente diferente, e acompanhamos Elia Suleiman, realizador e protagonista de uma comédia de enganos que reflete sobre o peso da identidade e nacionalidade. O PARAÍSO, PROVAVELMENTE é um conto burlesco no qual o realizador coloca uma questão fundamental: onde nos podemos sentir “em casa”? O filme, em exibição no dia 28 de outubro, recebeu o Prémio da Crítica Internacional (FIPRESCI) e uma Menção Especial do Júri no Festival de Cannes.

Leave a Reply

Recentes de Ribatejo Cool

Ir para Início
%d bloggers like this: