Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza – 12 números sobre a pobreza em Portugal

Em Atual/Empresas

A Pordata, projecto da Fundação Francisco Manuel dos Santos, assinala o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, a 17 de outubro, com 12
destaques estatísticos sobre a pobreza em Portugal.

1 – Sabia que…
2018 foi o ano com o menor número de pessoas consideradas pobres em Portugal (desde 2003), com uma taxa de risco de pobreza de 17,2%?
As taxas mais elevadas registaram-se em 2003, 2013 e 2014 quando a pobreza atingiu cerca de um em cada cinco indivíduos.
Contudo, antes de qualquer transferência social, a proporção de pobres representaria 43,4% da população em 2018.

Taxa de risco de pobreza: Proporção de indivíduos com um rendimento equivalente abaixo do limiar de risco de pobreza, o qual corresponde a 60% do rendimento nacional mediano por adulto equivalente. A taxa de risco de pobreza representa a percentagem de pessoas
que tem rendimentos considerados baixos face à restante população, ou seja, que ficam abaixo do valor fixado para o limiar de risco de pobreza.
Transferências sociais: Inclui pensões de velhice e sobrevivência e outras transferências sociais (apoios à família, educação, habitação, doença/invalidez, desemprego, combate à exclusão social).
Rendimento Equivalente: Medida de rendimento que tem em conta as diferenças na dimensão e composição dos agregados. É obtido pela divisão do rendimento de cada agregado pela sua dimensão em termos de “adultos equivalentes”. “Adultos equivalentes” é uma unidade de medida da dimensão dos agregados que resulta da aplicação da escala modificada da OCDE. Esta escala atribui um peso de 1 ao primeiro adulto de um agregado;
0,5 aos restantes adultos e 0,3 a cada criança, dentro de cada agregado. Consideram-se adultos para efeito deste cálculo os indivíduos com 14 e mais anos. O rendimento equivalente é atribuído a cada membro do agregado.

2 – Sabia que…
o limiar de risco de pobreza, isto é o valor abaixo do qual se considera que alguém é pobre, aumentou 776€, a preços constantes, entre 2003 e 2018?
No entanto, entre 2010 e 2013 houve uma inflexão em relação aos anos anteriores, tendo passado de 5.434€ em 2010 para 5.189€ em 2011 e 4.960€ em 2012. Só em 2018 se superou o valor de 2009.


Limiar risco de pobreza: corresponde a 60% do rendimento nacional mediano por adulto
equivalente após transferências sociais.

3 – Sabia que…
em Portugal, a esmagadora maioria da população com 65 ou mais anos seria pobre sem transferências sociais?
Mesmo após transferências sociais, cerca de 17% vive numa situação de pobreza em 2018. Entre 2003-2006 cerca de um em cada quatro cidadãos com 65 ou mais anos era pobre, enquanto que os anos de 2012 e 2013 foram aqueles com menor número de pobres entre os idosos.

Taxa de risco de pobreza: Proporção de indivíduos com um rendimento equivalente abaixo do limiar de risco de pobreza, o qual corresponde a 60% do rendimento nacional mediano por adulto equivalente. A taxa de risco de pobreza representa a percentagem de pessoas que tem rendimentos considerados baixos face à restante população, ou seja, que ficam
abaixo do valor fixado para o limiar de risco de pobreza.
Transferências sociais: Inclui pensões de velhice e sobrevivência e outras transferências sociais (apoios à família, educação, habitação, doença/invalidez, desemprego, combate à exclusão social)

4 – Sabia que…
entre 2007 e 2018, os mais jovens são o grupo etário que apresenta a taxa de risco de pobreza mais elevada, depois de transferências sociais?
Embora 2018 seja o ano com a percentagem mais baixa, 18,5% dos menores de 18 anos estavam em risco de pobreza.

5 – Sabia que…
cerca de um em cada três agregados domésticos de um adulto com uma ou mais crianças é pobre?
Também os agregados compostos por dois adultos com 3 ou mais crianças, ou agregados de uma só pessoa apresentam maior vulnerabilidade à pobreza: 30,2% e 26,2%, respectivamente.

6 – Sabia que…
em Portugal, é considerado pobre quem aufere um rendimento mensal por adulto próximo dos 500€?
Em 2018, a intensidade da pobreza diminuiu face ao ano anterior embora, ao longo dos anos, a tendência tenha sido irregular. O seu pico deu-se em 2013 (em que o rendimento das pessoas consideradas pobres/em risco de pobreza estava 30,3% abaixo do limiar de pobreza) e o seu mínimo em 2000 (22,0% abaixo do limiar da pobreza).

Limiar do risco de pobreza em 2018 = 6.014 Euros/ano (pro); isto é 501,2€ por mês
Taxa de intensidade da pobreza: 2018 = 22,4% | 2017 = 24,5%

Limiar risco de pobreza: corresponde a 60% do rendimento nacional mediano por adulto equivalente após transferências sociais.
Taxa de intensidade de pobreza: Diferença entre o rendimento mediano equivalente disponível de indivíduos abaixo do limiar de risco de pobreza e o limiar de risco de pobreza, expressa em percentagem deste limiar. A taxa de intensidade de pobreza mede quão distante está o rendimento das pessoas mais pobres do valor fixado para o limiar de risco de
pobreza. Quanto mais baixos são os rendimentos das pessoas abaixo da linha de pobreza, mais alta é a taxa de intensidade de pobreza.

7 – Sabia que…
o limite a partir do qual se define a situação de pobreza, nos vários países da UE27, é muito diferente?
Ainda assim, depois de eliminarmos as diferenças ao nível do poder de compra (usando PPS), em 2019, o limiar da pobreza em Portugal equivalia a menos de metade do limiar da pobreza em países como a Áustria e a Dinamarca. Assim, em Portugal é pobre quem ganha menos de 580 PPS por mês e na Áustria quem ganha menos de 1.184
PPS por mês.

Limiar risco de pobreza: corresponde a 60% do rendimento nacional mediano por adulto equivalente após transferências sociais.

8 – Sabia que…
por toda a UE27, o risco de pobreza é mais acentuado entre indivíduos sem escolaridade ou com um nível Básico de escolaridade?
Em Portugal, cerca de um em cada quatro indivíduos com, no máximo, o 9º ano de escolaridade é pobre. Na Bulgária e Roménia, esta proporção é de cerca de metade entre o grupo menos escolarizado.

9 – Sabia que…
em 2019, mais de 267 mil pessoas recebiam o Rendimento Social de Inserção, sendo este o valor mais baixo atribuído desde 2006?
Destes, mais de metade são mulheres (51,6%) e mais de dois em cada cinco (41,2%) têm menos de 25 anos.

10 – Sabia que…
comparando o ano de 1974 com o ano de 2019, e descontando o efeito da inflação, as pessoas que recebem o salário mínimo recebem hoje mais 99€ do que em 1974?
E os beneficiários das pensões mínimas de velhice e invalidez do regime geral da Segurança Social recebem praticamente o mesmo?

11 – Sabia que…
em Portugal, em 2019, uma em cada três pessoas não tinha capacidade para assegurar o pagamento de despesas inesperadas?
No panorama europeu (EU27), em dois países, essa incapacidade atinge metade da população: Croácia e Letónia
Nota: Por despesa inesperada considera-se uma despesa próxima do valor mensal do limiar de pobreza e o pagamento sem recurso a empréstimo.


12 – Sabia que…
em 2019, atingiu-se o valor mais baixo, em 16 anos, do número de pessoas em situação de carência económica ou de bens duradouros em Portugal?
Neste período, o valor mais elevado é de 2013.

Taxa de privação material severa (%): 2019 = 5,6 | 2013 = 10,9 | 2004 = 9,9


Taxa de privação material severa: percentagem da população que enfrenta pelo menos quatro dos nove tipos da lista de dificuldades económicas acordada na União Europeia. Da lista constam as incapacidades de pagar despesas inesperadas, refeições regulares de carne e peixe ou uma semana de férias para a família; de pagar as contas da casa atempadamente ou de manter a casa aquecida; de ter carro, máquina de lavar roupa, televisão a cores ou telefone, por dificuldades económicas.

Leave a Reply