fbpx

Valgrupo anuncia investimentos de 38 milhões de euros em nova fábrica de rações e novo matadouro

Em Empresas

A Valgrupo anunciou a realização de investimentos de 38 milhões de euros numa nova fábrica de rações e um novo matadouro, durante a visita do secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

O secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nuno Russo visitou esta segunda-feira a Valgrupo, grupo de empresas sediado em Alcanede, concelho de Santarém, relacionadas com a criação, abate, transformação e comercialização de carne de suínos, empregando cerca 1000 colaboradores nas suas empresas. 

A visita começou pela obras de ampliação e modernização das instalações de abate e transformação de carne em Alcanede, e terminou na Quinta da Atela em Alpiarça.

As visitas contaram com as presenças dos presidentes das câmaras e autarcas de Alpiarça e Santarém, do diretor regional DRARO, Nuno Lacerda Fonseca, do presidente da CVR Tejo, Luís Castro, entre muitas outras entidades da região.

Assente numa estratégia de crescimento liderada pelo empresário Fernando Vicente, esposa e os dois filhos, a Valgrupo encontra-se neste momento numa fase de remodelação e ampliação das instalações de abate e transformação em Alcanede, num investimento de em cerca 6 milhões de euros. 

“Com este investimento, pretendemos assim, manter o foco daquilo que temos vindo a fazer, valorizar carne de porco nacional, e incrementar as exportações deste produto, que já de si são fatia importante da nossa atividade, através do acordo de exportação de carne de suíno para a China”, afirma Fernando Vicente.

“Os nossos projetos pretendem reforçar a capacidade de produção nas duas empresas do universo da Valgrupo, nas carnes a Valsabor, e nos vinhos a Quinta da Atela”, afirma Fernando Vicente.

Na receção ao Secretário de Estado, o empresário salientou que esta visita “representa para todos nós, um grande incentivo e o reconhecimento da importância económica e social deste grupo de empresas, que opera não só na região de Santarém, mas também no País”.

Grupo conta com 1000 colaboradores

A Valgrupo representa um grupo de empresas sediadas em Alcanede, no concelho de Santarém, relacionadas com a criação, abate, transformação e comercialização de carne de suínos, e que emprega ao todo cerca 1000 colaboradores.
A Valsabor foi constituída em 1989 e dedica-se ao abate e transformação de carne de porco. Assente numa estratégia de crescimento encontra-se neste momento em fase de remodelação e ampliação das instalações de abate e transformação, orçadas em cerca 6 milhões de euros a finalizar em 2021.
“Com este investimento vamos ainda aumentar a capacidade de frio, a capacidade de expedição e de logística, assim como melhorar os escritórios, a cantinados nossos trabalhadores e as salas destinadas à formação”, refere Fernando Vicente.


Também a concluir em 2021, o grupo está a fazer um investimento de 3 milhões de euros, nas empresas de produção animal, no aumento da sua capacidade produtiva, e na modernização e monitorização contínua de todo o ciclo produtivo.
Com a aquisição da Maporal, o matadouro de Reguengos de Monsaraz, tornou-se o primeiro matadouro português a exportar carne de porco para a China em fevereiro de 2019.
Neste momento decorrem as obras de ampliação o que lhe irá permitir ter a capacidade de abate de 15 mil suínos por semana, destinados à exportação. Este investimento está a decorrer e representa uma aposta de 15 milhões € com o arranque previsto para abril de 2021.


Novos investimentos de 38 milhões de euros em 2022

“Apesar de tudo isto que estamos a fazer, e queremos vir a fazer, o que já não é pouco, sinalizamos ainda 2 projetos que queremos começar a concretizar em 2022: a construção de um novo Matadouro e de uma nova fábrica de ração”, anuncia Fernando Vicente.
A construção de um novo matadouro para a Valsabor vai representar um investimento de 25 milhões de euros, dotando o grupo com o maior e mais moderno matadouro português. Depois de construído irá permitir uma capacidade de exportação de 150 milhões de euros por ano.
A nova fábrica de ração irá juntar-se às 6 que o grupo já possui, pretendendo o empresário que esta 7.ª fábrica venha a ser a maior do país com a capacidade de produção de 2000 toneladas/ dia, num investimento de 13 milhões de euros.
“Com os investimentos que estão a decorrer e os próximos projetos, pretendemos desta forma manter o caminho e reforçar o foco na valorização da carne de porco nacional”, afirma Fernando Vicente, “para além de continuar a incrementar as exportações deste produto, o que já representa uma fatia importante da nossa atividade, através do acordo de exportação para a China”.

Grupo investiu 1 milhão na Quinta da Atela

Em 2017, a VALGRUPO alargou a sua atividade ao setor vitivinícola, adquirindo a Quinta da Atela em Alpiarça. A Quinta da Atela, situada na margem sul do rio Tejo, foi criada em 1346 pelos Condes de Ourém e doada ao Convento da Graça de Santarém dos Agostinhos Calçados, na altura ainda denominada por Quinta da Goucha.
A atividade principal centra-se na produção vitivinícola com castas de elevado potencial, adaptadas ao solo e ao clima desta propriedade, transmitindo aos vinhos a melhor da essência das vinhas, do terroir e do Ribatejo.
“Quando a adquirimos, começámos por restruturar cerca de 120 hectares de vinha que se encontrava em baixa produção, dando com isso o nosso contributo para o aumento da produção de vinhos de qualidade na região, assim como também um contributo para a conservação e melhoramento da paisagem agrícola”, recorda o empresário.

A Quinta tem atualmente 16 castas diferentes, entre as principais nacionais e internacionais, e este ano para continuar a reforçar e a diversificar plantou mais 22 hectares de vinha. “Com a experiência dos nossos colaboradores fizemos uma frutuosa experiência através do cruzamento entre o Castelão Francês e a Trincadeira Preta. Neste cruzamento das duas castas foi-se buscar as melhores qualidades adequando ao terroir perfeito, para produzir vinhos que estão a sair inconfundíveis. E com isso temos obtido prémios e louvores alcançados com os vinhos produzidos com base nestas uvas”, refere Fernando Vicente.


Em 2020 o grupo realizou investimentos de 1 milhão de euros, nesta marca que está a desenvolver-se e em crescente notoriedade. “Com o apoio e saber do nosso enólogo, continuamos a crescer e a inovar, e estamos a trabalhar para lançar mais produtos, 2 espumantes em 2022, e 4 monocastas”, adianta o empresário.


Os vinhos encontram-se disponíveis no canal HORECA e trabalha com distribuidores que fazem a revenda para esse mercado. Além da vinha, a Quinta da Atela, tem uma importante área de montado de sobro, e a criação de gado bovino, numa área total de aproximadamente 700 hectares.
Além destas valências, decorre o processo de adaptação do seu edificado à vertente do enoturismo, sendo esta uma área estratégica do sector vitivinícola na promoção e desenvolvimento dos seus produtos. Neste sentido, a empresa está a certificar o alojamento local para desenvolver o projeto e a região.


“Nas empresas da VALGRUPO, seja na VALSABOR ou na Quinta da Atela queremos continuar a trabalhar como sempre, dedicados e a superar a cada dia as dificuldades”, afirmou Fernando Vicente, salientando que o grupo pretende “criar as melhores condições de trabalho para os nossos colaboradores, investir na responsabilidade ambiental e representar uma mais valia económica e social para a região e para o país, na criação emprego, na criação de riqueza, e na esperança de um futuro melhor para todos”.

Leave a Reply

Recentes de Empresas

Ir para Início
%d bloggers like this: