fbpx

A revoltante falta de respeito na política do património em Santarém

Em Opinião

Podem discordar das minhas opiniões, considerar diferenciações opostas, mas considerai que nunca uso impostura, desrespeito ou fingimento esquecido!

A diferença de opinião é saudável e motivadora em democracia – também o respeito pela cidadania e pela própria democracia o deve ser! Respeitar não é coisa de somenos – muito menos quando se trata da meritória intervenção cidadã pela melhoria da nossa terra.

Exemplo concreto: em 2015, centenas de cidadãos assinam uma petição à Assembleia Municipal “QUEREMOS DE VOLTA O CORETO ROMÂNTICO”. Uma comissão de deputados municipais presidida por um eleito do PSD propõe à Assembleia Municipal de Santarém uma recomendação que é aprovada, em 24-09-2015, por UNANIMIDADE – portanto, PSD incluído -, onde na ata [clique aqui] se diz:

C) A Comissão recomenda ao Município de Santarém a realização de um estudo interno por forma a proceder a melhorias no Coreto, em especial relativamente à sua base em cimento de cor cinzenta, a qual foi considerada unanimemente, ser o elemento que mais agride visualmente a sensibilidade estética no conjunto, não esquecendo o enquadramento com o restante Jardim, por forma a melhorar o seu aspeto visual, tornando o espaço mais aprazível aos seus utilizadores;

Isto foi em SETEMBRO de 2015. UM ANO DEPOIS, EM 2016, perguntei, na Assembleia Municipal, ao Sr. Presidente da Câmara Ricardo Gonçalves o que a Câmara fizera para dar seguimento ao aprovado por UNANIMIDADE – PSD incluído. Ata:

O senhor Presidente da Câmara esclareceu que uma intervenção neste espaço necessita da autorização do autor do projeto, recordando que o Jardim da República foi premiado como melhor jardim de dois mil e dez. Sublinhou que só com a anuência do autor do projeto a recomendação poderá ser cumprida”.

Ou seja, o senhor Presidente da Câmara e o seu executivo que esteve UM ANO SEM FAZER NADA responde um ano depois que tem de perguntar ao autor do projeto! Tem dúvidas? Clique aqui e leia a ata da AMS de 30-09-2016.

Como o Bloco de Esquerda tem respeito pela cidadania, respeito pela democracia, respeito pelo nosso património, respeito pela nossa terra, há que não calar!

Assim, em AGOSTO de 2020, cinco anos depois da aprovação na Assembleia Municipal, voltei a questionar o senhor Presidente da Câmara Ricardo Gonçalves. A resposta chegou-me ontem e é absolutamente inacreditável!

Para que toda a população possa verificar a total veracidade da resposta recebida faço colagem das imagens da carta oficial assinada pelo Presidente da Câmara:


Poderia trazer-vos muitas interrogações: o respeito pela Assembleia Municipal – órgão máximo de Santarém, o respeito do PSD por aquilo que ele próprio votou a favor, o respeito pelas centenas de pessoas que se preocuparam com o património da sua/nossa terra, o respeito por um compromisso sério de trabalho… Num PSD que se junta a propagadores do ódio e do racismo, como nos Açores, que há a esperar? Que cada pessoa tire as suas conclusões!

Vamos continuar a deixar o coreto apodrecer?

Já agora, fique-se a saber que há oposição em Santarém! O BE não é uma nêspera [clique e saiba porquê], é uma oposição que age, que tem uma oposição positiva, que faz propostas e defende a sua terra, a identidade, a cultura e a democracia!

O leitor ou leitora quer ajudar-nos a defender a nossa terra? Partilhe o artigo.

Vítor Franco

(Deputado do BE na Assembleia Municipal de Santarém)

Leave a Reply

Recentes de Opinião

Ir para Início
%d bloggers like this: