fbpx

Os Verdes questionam governo sobre despedimentos na Sumol+Compal

Em Empresas

O Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta, em que questiona o Governo, através do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, sobre o anúncio feito pela Sumol+Compal do despedimento coletivo de 80 trabalhadores sem, no entanto, clarificar os sectores e unidades industriais afetados.

A pergunta do PEV refere que a Sumol+Compal surge da fusão, em 2008, dos grupos Sumolis e Compal, tornando-se no maior fabricante de bebidas não-alcoólicas do nosso país e assumindo uma grande importância para a economia nacional. Essa importância é também significativa para a economia das regiões e locais onde se encontram instaladas as suas unidades industriais, bem como vários centros de distribuição.

O PEV salienta que no concelho de Almeirim essa importância económica revela-se, não apenas no número significativo de postos de trabalho que representa, sendo a maior empresa instalada no município, mas também no contributo para o escoamento de produtos de origem regional.

Na sequência da pandemia da COVID-19 e dos seus impactos sobre o setor da restauração e hotelaria, em abril a empresa recorreu ao lay-off simplificado, abrangendo cerca de 500 trabalhadores do grupo, justificando-se com as perdas nas vendas associadas àquele mercado. Em novembro, a empresa anuncia o despedimento coletivo de cerca de 80 trabalhadores, sem, no entanto, clarificar os sectores e unidades industriais afetados.

O PEV salienta que, para além do apoio recebido do Estado, durante o período do lay-off simplificado, a empresa tem acumulado lucros avultados ao longo dos anos, tendo até, no ano de 2017, atingido um novo máximo de vendas em Portugal.

Acresce o facto de a imprensa local, em Almeirim, divulgar que a empresa pretende continuar a contratar, mesmo após este despedimento coletivo, uma vez que tem em curso o encerramento do centro de distribuição de Leiria e irá abrir um novo armazém em Almeirim, junto à sua unidade fabril.

Num momento em que a situação económica e social que o país enfrenta é deveras preocupante, importa salvaguardar os postos de trabalho e combater a precariedade para garantir o cumprimento dos direitos socias dos trabalhadores e das suas famílias, defende o PEV.

POr isso, os deputados do PEV perguntam ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social:

1 – Quais as informações que o Governo dispõe relativamente ao despedimento coletivo em curso na Sumol+Compal?

2 – Quantos trabalhadores foram abrangidos pelo lay-off e durante quanto tempo?

3 – Quais os valores recebidos pela empresa de apoio ao lay-off?

4 – Que medidas já tomou, ou prevê o Governo vir a tomar, no sentido da resolução desta situação, por forma a assegurar a continuidade dos postos de trabalho destes trabalhadores?

5 – Qual tem sido a atuação da Autoridade para as Condições do Trabalho relativamente a esta situação?

Leave a Reply

Recentes de Empresas

Ir para Início
%d bloggers like this: