Cinemateca Portuguesa dedica ciclo a Bernardo Santareno

Em Ribatejo Cool

Nos dias 15 e 17 de dezembro, a Cinemateca Portuguesa irá realizar um ciclo dedicado a Bernardo Santareno, em colaboração com as Comemorações Nacionais do Centenário do Nascimento de Bernardo Santareno. Irá ser dedicado à memória de Fernanda Lapa. O Ciclo dará a ver “O Crime da Aldeia Velha”, “A Promessa” e a curta televisiva “Vida Breve em Três Fotografias”. Para reserva de lugares (gratuitos e limitados), em qualquer das sessões, aceitam-se inscrições até ao próximo dia 4 de Dezembro.

A PROMESSA (antecedido de “Vida Breve em 3 Fotografias”) de António de Macedo, com Guida Maria, Sinde Filipe, João Mota, e Luís Santos. Portugal, 1972 – 94 min. Terça-feira, 15 Dezembro – 20:00 | Sala M. Félix Ribeiro

A partir da obra teatral homónima de Bernardo Santareno e assentando num trabalho de investigação sociológica levado a cabo nas aldeias piscatórias em que decorre a ação, “A Promessa” é a história de um jovem casal de uma aldeia de pescadores, profundamente religiosos, que não consuma a sua união sexual em cumprimento de um voto de castidade. Alvo de grande polémica em Portugal, (foi a primeira obra portuguesa a mostrar dois corpos nus), “A Promessa” teve uma boa carreira e foi o primeiro filme português oficialmente selecionado para o Festival de Cannes.

VIDA BREVE EM TRÊS FOTOGRAFIAS, de Fátima Ribeiro, com Marco de Almeida, Bruno Santos, Carla Chambel, Fernando Heitor, e Isabel de Castro. Portugal, 1998 – 36 min. Terça-feira, 15 Dezembro – 20:00 | Sala M. Félix Ribeiro

Episódio de uma série de televisão produzida pela David & Golias para a RTP. Adaptação de um texto da obra “Os Marginais e a Revolução”, de Bernardo Santareno.

O CRIME DA ALDEIA VELHA, de Manuel Guimarães, com Barbara Lage, Rogério Paulo, Mário Pereira, Maria Olguim, Rui Gomes, Glicínia Quartin e Miguel Franco.Portugal, 1964 – 115 min | M/12 Quinta-feira, 17 Dezembro – 18:00 | Sala M. Félix Ribeiro

Primeira adaptação de uma peça de Bernardo Santareno ao cinema, inspirada num facto verídico, ocorrido no norte do país em 1908. A história de uma mulher que se julga possessa e que é queimada numa fogueira pelo povo da aldeia como forma de exorcismo, depois de dois homens se terem suicidado por amor dela. Um requisitório contra a superstição num dos filmes mais interessantes de Manuel Guimarães que retoma o principal tema da obra de Santareno – “a luta pela dignificação do ser humano, pelos seus direitos essenciais, em confronto com preconceitos de todo o tipo, quer sejam sexuais, religiosos, económicos, raciais, políticos ou sociais” (Lauro António).

Para reserva de lugares (gratuitos e limitados), em qualquer das sessões, aceitam-se inscrições até ao próximo dia 4 de Dezembro.

Leave a Reply