Vacinas

Em Opinião

A metedura de pata na poça da DGS a propósito de quem e quando deve ser vacinado contra a epidemia onde se alvitrava o travão no que tange aos maiores de 75 anos, obrigou António Costa a vários golpes de rins na tentativa de sofrer copiosa derrota e Marcelo nosso Presidente a escrever o texto anunciador da recandidatura a penetrar no campo da psiquiatria apelidando a pata na poça de ideia tonta.

Porque era necessário aquietar o rebanho de indígenas (dixit de VPV de saudosa memória), na passada quinta-feira os próceres do combate à peste informaram (?) durante mais de uma hora quais eram os planos do governo no tocante à vacinação tendo o cuidado de garantir que os velhos não seriam esquecidos, muito menos colocados no saguão dos imprestáveis. Muito bem, diria o conselheiro Acácio, mas não há bela sem senão, logo saiu à estacada a Bastonária da Ordem dos farmacêuticos a apontar a sistemática utilização do vocábulo incerteza na intonação pastosa e vaidosa do coordenador da Comissão de especialistas, levantando inúmeras dúvidas sobre o «plano» governamental de inoculação nas populações das vacinas capazes de fazerem frente à estuporada maleita.

Para lá dos estultos negacionistas a enervar-nos, para lá do constante zig-zag da DGS, a advertência da líder das farmácias semeia incertezas no tocante à boa conduta governamental no fazer/fazendo vacinação das populações ansiosas na retoma da vida normal para todos. Reforço: para todos!

Armando Fernandes

Leave a Reply

Recentes de Opinião

Para sempre

Ano após ano, seja no exercício da lembrança da radiosa efeméride, seja…

Ir para Início
%d bloggers like this: