Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2019 – Veja aqui os melhores e os piores municípios do distrito de Santarém

Em Região

Veja aqui como se posicionam os municípios do distrito de Santarém no ranking global dos municípios publicado pela Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC).

No ranking global dos 100 melhores municípios, Abrantes surge em 5.º lugar, sendo o concelho de média dimensão mais bem classificado do distrito, seguido de Benavente em 12.º lugar, Ourém em 13.º. No ranking global dos municípios de pequena dimensão na lista dos 100 melhores, Coruche é 12.º e a Chamusca 17.º.

O Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, publicado pela Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), faz uma análise pormenorizada das contas das câmaras municipais relativas a 2019.

Maiores despesas com pessoal

O Município do Sardoal surge em 19.º lugar nos concelhos com menor independência financeira. É também o município com o maior peso de despesas com pessoal na despesa total, 44%, seguindo-se Constância com 42,6%, Benavente 42,2% e Torres Novas 40,7%. A média nacional é de 30% de despesas com pessoal. Alcanena é o que apresenta menor despesa com pessoal no total das despesas, com apenas 21,5%. Santarém é o concelho com maior volume de despesa com pessoal do distrito, com uma despesa de 15,4 milhões de euros, que representou um aumento de 8,2%.

Maior redução do IMI

Santarém foi o concelho do distrito com maior redução do IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis, com uma baixa de 5,42,7%, seguindo-se Alpiarça com 2,4 %, Alcanena 1,2% e Ourém  1,5%. Santarém surge em 20º lugar com uma redução de cobrança de IMI de 505 mil euros, seguindo-se Torres Novas com menos 157 mil euros de IMI cobrado.

Municípios com mais e menos investimento

Alpiarça foi o 10.º município do país com menor volume de investimento pago em 2019. O concelho apenas gastou 646 mil euros em investimentos em 2019, ainda assim um valor 101% maior do que em 2018.

Alpiarça destaca-se ainda por ser o 22.º concelho com maior volume de pagamentos de amortização de empréstimos, tendo pago 4,8 milhões de euros em 2019. Santarém foi o 17.º município que maior volume de empréstimos amortizou em 2019, cerca de 5,5 milhões de euros. Santarém foi também o 25.º do país com maior volume de juros e outros encargos financeiros. Pagou 458 mil euros de juros. Nesta questão, o Cartaxo é 12.º do país, tendo pago  955 mil euros de juros.

Municípios em desequilíbrio orçamental e mais endividados

Santarém é o 5.º da lista de municípios em desequilíbrio orçamental permitido pela lei, seno o Cartaxo o 16.º da lista. Na lista de municípios com maior passivo exigível o Cartaxo é o 11.º com 50,8 milhões de euros, seguido de Santarém em 13.º com 46,3 milhões de euros.

Estes dois municípios destacam-se igualmente pela maior diminuição do passivo. Santarém é o 22.º do país com menos 4 milhões de euros de passivo, o Cartaxo em 46.º com menos 1,9 milhões. Tomar foi o 49.º município com maior diminuição do passivo, tendo amortizado 1,7 milhões de euros.

O Cartaxo é o 2.º concelho da lista negra de municípios com índice de dívida total superior a 1,5 da média da receita corrente dos últimos 3 anos. A dívida do Cartaxo soma 50,7 milhões de euros e a receita média anual é de apenas 13 milhões de euros.

Ao contrário, na lista dos municípios com melhor índice de dívida total, destaca-se o município da Chamusca em 23.º lugar, seguindo-se Benavente em 32.º, Coruche em 44.º e Abrantes em 46.º.

Os melhores e piores pagadores

Almeirim é o concelho do distrito com melhor prazo médio de pagamentos. O Município de Almeirim paga em média a 3 dias, e Abrantes em 5 dias.

No lado oposto, Alpiarça é o pior do país e o 7.º do país com maior prazo de pagamentos – demora em média 249 dias a pagar aos fornecedores. Sewgue-se a Golegã em 23.º lugar nacional com uma demora média de 143 dias, Tomar em 26.º demora 140 dias e Sardoal em 33.º leva 108 dias a pagar.

Quanto a resultados económicos, Azambuja é o 33.º melhor do país com 4,7 milhões de euros de resultados económicos, seguindo-se Santarém com 3,9 milhões de euros.

Poderá conferir aqui o documento completo do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses.

Leave a Reply