Estudo da Associação de Famílias Numerosas – Distrito de Santarém com disparidades no custo da água

Em Região

O estudo comparativo dos tarifários de abastecimento de água de Portugal, realizado pela APFN – Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, mostra que no distrito de Santarém, uma pessoa paga 2,34€ por mês se viver no município da Golegã, ou paga mais do dobro, ou seja, 5,72€, se viver no município de Ourém.
Segundo o estudo, pela negativa está ainda o preço médio da tarifa fixa de abastecimento de água do distrito de Santarém foi de 3,76€ por mês, ultrapassando o preço médio nacional que foi de 3,00€/mês.
Ao nível da tarifa variável de abastecimento de água o distrito de Santarém registou uma média, no último ano, de 0,79€/m3 de água consumida, ligeiramente abaixo da média nacional, de 0,81€/m3.

Já há dois meses, o Mais Ribatejo publicou um comparativo com base nos dados da ERSAR que demonstrava a grande variação de tarifas praticadas pelos diversos sistemas na região.

O estudo comparativo dos tarifários de abastecimento de água de Portugal, realizado pela APFN – Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, revela as inúmeras diferenças no preço da água em Portugal, considerando o município em que se vive e também a dimensão familiar.

100% dos municípios de Santarém e Lisboa com tarifa familiar da água

De acordo com a APFN, Portugal contou com um total de 207 municípios com um tarifário específico, de aplicação universal, para as famílias de maiores dimensões. No último ano foram criadas 14 novas tarifas familiares das quais se destaca o município de Constância. O distrito de Santarém passou assim, a par do distrito de Lisboa, a ser um distrito com 100% dos seus municípios com Tarifa Familiar da Água.

O Mais Ribatejo corrigiu o valor respeitante à Aquanena, de acordo com os dados confirmados respeitantes ao tarifário em vigor na data do estudo da APFN

Concelho da Golegã em 13.º lugar no ranking dos municípios com tarifários amigos das famílias

Pela positiva, no estudo da APFN, está o município da Golegã que ocupa o 13.º lugar do TOP 20 do Ranking da Água por ser uma das autarquias nacionais com menores níveis de discriminação no acesso à água.

De acordo com o estudo a APFN, o tarifário no concelho da Golegã favorece as famílias mais numerosas


Estas são algumas das conclusões da 5.ª edição do Estudo da Água promovido pela Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN) para o ano de 2019, que pode ser consultado na íntegra aqui.
O Estudo da Água foi realizado com o apoio mecenático da Fundação Millennium bcp.

Metodologia
De acordo com a APFN, o estudo analisa os tarifários da água em vigor a 31 de dezembro de 2019 nos 308 municípios portugueses e tem por base os seguintes
pressupostos:

  1. O consumo diário per capita foi estabelecido em 120 litros de água/dia – 3,6 m3 /mês*;
  2. Foram consideradas as componentes: variável e fixa, do tarifário de abastecimento de água para consumo doméstico;
  3. Foram apenas considerados os Tarifários familiares de aplicação universal
  4. A análise baseou-se nos preços sem IVA incluído
    *Esta média mensal corresponde aos padrões internacionais (Code for Sustainable Homes). A análise da equidade do acesso à água foi avaliada calculando o custo real da água (fator fixo e fator variável) para um consumo mensal de 3,6 m3 (120 litros/dia)
    por pessoa e para dez dimensões familiares diferentes (de 1 a 10 pessoas).


.

Leave a Reply

Recentes de Região

Ir para Início
%d bloggers like this: