Tomar assume presidência da rede templária europeia

Em Região

O dia 13 de Janeiro, em que se cumpriam 892 anos do nascimento oficial da Ordem do Templo (início em Troyes, França, do Concílio da Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e da sua Regra), foi escolhido simbolicamente para a apresentação da passagem de testemunho da presidência da Templars Route European Federation (TREF), assumida pela cidade de Tomar e pela sua presidente, Anabela Freitas, num mandato que se prolongará até 2023.

Apresentada em conferência de imprensa, a presidência portuguesa, apesar de lançada num momento difícil da conjuntura mundial, pretende aproveitar esta janela de oportunidade para valorizar internacionalmente esse importante recurso que é o legado templário, marca de Tomar mas ainda pouco rentabilizada no seu imenso potencial.

Mas o que distingue especialmente o trabalho da TREF é o ancorar-se no trabalho científico e académico, ao invés do que é frequente em muitas das alusões aos cavaleiros do Templo, e por isso mesmo a presidência vai ser acompanhada por um Comité Científico, composto por Ernesto Jana, que coordena, Carlos Veloso (Instituto Politécnico de Tomar), Hermenegildo Fernandes (Universidade Clássica de Lisboa), Joaquim Nunes (Associação Templ’Anima), Maria João Branco (Universidade Nova de Lisboa) e Miguel Martins (Câmara Municipal de Lisboa e Universidade Nova).

Os objetivos da presidência portuguesa são consolidar a TREF; desenvolver, em caso de aprovação pelo Conselho da Europa, o Itinerário Cultural do Património Templário; alargar a TREF mediante uma política geral da parceria associada a políticas nacionais; e constituir uma Rota do Património Templário Português.

Pretende-se ainda promover a TREF nos planos turístico (com a criação de rotas e formação de operadores), económico (através do encontro de vontades entre produtores económicos a nível internacional), institucional (dando-a a conhecer aos poderes públicos nacionais e internacionais), científico (através de publicações e conferências) e educativo (criando parcerias entre escolas e estudantes, independentemente de o objeto de trabalho ser ou não diretamente relacionado com a Ordem do Templo, desde que pertencentes a cidades da TREF).

Por último, mas não menos importante, reforçar a comunicação com o grande público, através dos mais diversos meios. Um destes materializa-se na criação de uma sinalética a adotar por todas as cidades da TREF, criada de raiz no Município de Tomar. Esta sinalética, que apresenta o património templário classificado em quatro categorias, inclui acesso a informação online através de QR Code. Simbolicamente, está previsto que a primeira seja implantada na igreja de Santa Maria dos Olivais (panteão dos mestres da Ordem do Templo), no próximo 1 de Março, dia de Tomar.

Tags:

Leave a Reply

Recentes de Região

Ir para Início
%d bloggers like this: