Morreu o artista do Cartaxo Francisco Gaia

Em Ribatejo Cool

O pintor Francisco Gaia faleceu no sábado à noite, pela covid-19, e o funeral realiza-se m Vale da Pinta, no Cartaxo, na segunda-feira, às 16h00.

O artista português conheceu Pablo Picasso entre 1965 e 1970, tem uma obra no Museu Guggenheim em Nova Iorque.

De 1970 a 1981 viveu e estudou na Holanda, onde se licenciou em artes plástica pela Academia de Pintura Moderna de Haia. Em 1981 regressou a Portugal. Participou em mais de 500 exposições. 

Pode ser uma imagem de texto que diz "AUCSHWITZ, DUCHE OCAUSTO DEZASTRES DA GUERRA DE 1945, ÓLEO SOBRE DIMENSÃO 80X60, XUCUTADO ΝΑ HOLL AND, ANO 1971, FRANCISOGA ÓBRA EMSUA REPRESENTAÇÃOEXPOSTA EXPOSTA NO MUSEU GUGGENHEIN EM NOVA IORQUE."

O pintor e escultor Francisco Gaia, que realizou exposições nos Estados Unidos, Holanda e Portugal, morreu no sábado, em Vila Franca de Xira, aos 87 anos, vítima de covid-19, disse fonte da família.

De acordo com o filho, o também artista Francisco Van der Saramago, o pai estava internado no Hospital de Vila Franca de Xira, com complicações renais e infetado com covid-19, e “o seu estado frágil agravou-se nos últimos dias”, vindo a morrer às 22:30 de sábado.

O funeral do artista plástico ribatejano irá ser realizado hoje, às 16:00, numa cerimónia no cemitério de Vale da Pinta, no Cartaxo, de onde era natural.

Francisco Gaia nasceu na freguesia de Vale da Pinta em 12 de maio de 1933 e realizou a primeira exposição em 1951, aos 18 anos.

Nos anos 1960, saiu de Portugal face à ditadura do regime salazarista e viveu em Angola, Moçambique e África do Sul, onde trabalhou como pintor e decorador antes de se fixar em Paris.

Na capital francesa, a partir de 1965, conviveu com artistas modernistas como Pablo Picasso, com quem trabalhou entre 1965 e 1970, segundo os dados biográficos da sua página ´online´.

Em 1970, o pintor, cuja obra se enquadra no expressionismo abstrato, mudou-se para Haia, nos Países Baixos, onde frequentou a Academia de Pintura Moderna, licenciando-se em Artes Plásticas.

O seu trabalho está representado em várias coleções particulares, em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente na Alemanha, França, Bélgica, Espanha, Chile, Panamá, Peru, Itália, Brasil, Paquistão e Canadá nos Estados Unidos, onde, no Museu Guggenheim de Nova Iorque, está representado com a obra “Desastres da Guerra de 1945”, também de acordo com aquela biografia.

Das exposições realizadas contam-se, entre outras, em Nova Iorque, pela Artbox Project New York, na Galeria Chevening, nos Países Baixos, na Casa Bocage de Setúbal, na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa, na Fundação Ricardo Espírito Santos Silva, Galeria de Arte do Casino Estoril, na Galeria Arte Velasquez, em Valladolid, Espanha, e na Bienal Internacional de Guebre, em França.

Francisco Van der Saramago disse que está em preparação um projeto de criação de um espaço museológico dedicado a Francisco Gaia em Vale da Pinta, em colaboração com a junta de freguesia local.

Leave a Reply