PSD pede esclarecimentos sobre vacinação indevida de vereador da Câmara de Torres Novas

Em Sociedade

Face às notícias vindas a público sobre a alegada vacinação indevida do vereador Carlos Ramos, o PSD Torres Novas solicitou esclarecimentos adicionais ao presidente da Câmara Municipal, insistindo também na necessidade de serem prestados publicamente todos os dados e informações exatas sobre a situação. 

Vereador Carlos Ramos foi inoculado com a sobra de uma vacina durante uma vacinação num lar de idosos

“Porque este executivo continua sem emitir qualquer esclarecimento público e porque as respostas entretanto por nós recebidas não eliminam as dúvidas que o caso levanta, o PSD insiste em questionar a Câmara sobre o facto de “tendo recebido a primeira toma da vacina em 14 de janeiro, por que é que o vereador Carlos Ramos ocultou o facto nas duas reuniões de câmara entretanto decorridas, incluindo a reunião pública do dia 9 de fevereiro, em que o assunto foi abordado? O Sr. Presidente ou alguns dos Vereadores do PS tinham conhecimento desta situação?

O PSD pergunta “que trabalho político desempenha um vereador em exercício de funções, quando acompanha uma ação de vacinação numa instituição do concelho? Para as instituições e para os respetivos utentes, que mais valia acrescenta a sua presença num momento destes? O vereador vai acompanhar as ações do género em todas as instituições do concelho?” Para o PSD de Torres Novas, “uma vez que a entidade responsável pela vacinação não solicitou qualquer apoio do Serviço Municipal da Proteção Civil, mas apenas a presença de dois bombeiros e uma ambulância para acompanhar o processo, é necessário esclarecer a que título e com que objetivos se deveu a sua presença no local?”  

As justificações utilizadas de que “sobrou uma!” ou ainda que “não existia mais ninguém!”, são inaceitáveis“, +ara o PSD de Torres Novas, considerando que “por um lado é referido que houve elementos da Proteção Civil Municipal vacinados mas ninguém esclarece se há, de facto, outros elementos desse serviço também contemplados. Por outro lado, mesmo não havendo, na altura, regras claras para as “sobras”, como se justifica que não se tenha chamado, na ocasião, algum operacional para o efeito?

Com os contornos que se conhecem e no contexto difícil que atravessamos, o PSD Torres Novas “lamenta profundamente a situação, que voluntária ou involuntariamente, atenta contra os direitos de todos os cidadãos. Estamos perante indícios especialmente gravosos para todos aqueles que, em situação de maior vulnerabilidade, por trabalho efetivo e diário na linha da frente, por doença ou por idade mais avançada, se terão visto ultrapassados por um vereador do executivo municipal”. 

2 Comments

Leave a Reply