Associação Sindical dos Profissionais da Polícia entrega caderno reivindicativo por melhores condições de trabalho no distrito de Santarém

Em Sociedade

Os delegados eleitos do Comando Distrital de Santarém da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – ASPP/PSP apresentaram, esta terça-feira, cumprimentos ao comandante superintendente João Amado.

Tendo a nova direção da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – ASPP/PSP tomado posse no dia 16 de dezembro, os delegados eleitos do Comando Distrital de Santarém manifestaram-se disponíveis  para o tratamento dos mais diversos assuntos que fossem do interesse dos associados em particular, e dos polícias em geral, aproveitando, desde logo para entregar um caderno reivindicativo.

image.png

O caderno reivindicativo defende a manutenção dos edifícios das esquadras, nomeadamente aquecimento de águas, aparelhos de ar condicionado, pinturas. O documento exige a resolução do problema da escassez de meios informáticos e de comunicações, apontando como exemplo o parque informático escasso e obsoleto, falta de rádios e baterias.

A Associação Sindical opõe-se ao encerramento de serviços, nomeadamente à extinção de duas Equipas de Intervenção Rápida (EIR) no Comando, que consideram importantes na resposta necessária à população.  

Os delegados do distrito questionam “para quando a nova Esquadra do Entroncamento? Recordam o protocolo há muito firmado entre a autarquia e a Secretaria Geral da Administração Interna e com a Polícia.

Criticam o aumento exponencial de processos disciplinares. Para a Associação Sindical é motivo de preocupação o volume e aumento de processos disciplinares no comando. Como exemplo, os processos relacionados com a condução de viaturas policiais, o que tem levado a alguma desmotivação e, nalguns casos, falta de confiança na condução auto, por parte dos polícias.  

Salientam a necessidade de formação contínua, técnica e teórica, melhorando a capacidade operacional e de resposta ao cidadão.

Exigem o cumprimento dos despachos: 20 GDN 2009 e 25 GDN 2010. referem que o problema está relacionado com a falta de efetivos, com a necessidade de preenchimento de lugares de chefia e comando, deixados por chefes-coordenadores que passaram à pré-aposentação. Defendem a necessidade de adequação de competências dos vários intervenientes nas áreas de comando, coordenação e execução.

Quanto à avaliação de serviço, exigem o cumprimento do estipulado, relativamente ao legítimo primeiro avaliador (que deve ser o superior hierárquico direto do avaliado, das carreiras de chefe de polícia ou oficial de polícia, que tenha contacto funcional com o avaliado de pelo menos mais de seis meses).

Segundo a nota da Associação, o Superintendente João Amado agradeceu o trabalho da ASPP/PSP e a pertinência dos assuntos elencados, mostrando-se recetivo às situações colocadas, mesmo àquelas que poderão não ser diretamente da sua competência.

Leave a Reply