Vídeo – Jurista da DECO Ribatejo e Oeste Joana Parracho aconselha sobre o que fazer perante o fim das moratórias privadas dos créditos pessoais

Em Empresas/Vídeos
Mantenha-se informado, coloque questões. Subscreva o canal do Mais Ribatejo no Youtube.

Joana Parracho, jurista da DECO Ribatejo e Oeste aconselha sobre o que fazer perante o aproximar do fim do prazo das moratórias privadas dos créditos pessoais.

Apesar de ter sido alargado o prazo das moratórias públicas, aplicável a contratos de crédito à habitação garantidos por hipoteca e outros créditos hipotecários, de locação financeira de imóveis destinados à habitação, e contratos de crédito com finalidade educação, celebrados com consumidores, até ao final de setembro, algumas moratórias privadas que abrangem os contratos de crédito pessoal (com exceção dos contratos de crédito aos consumidores com finalidade educação) e o crédito automóvel, já terminaram ou vão terminar antes de setembro e as famílias começam a ser chamadas pelos bancos para iniciarem o pagamento das respetivas prestações mensais.

No entanto, nos tempos difíceis que correm, muitas são as famílias que se encontram ainda com grandes dificuldades económicas e que continuam a ser penalizadas com a crise.

O que fazer?

O que aconselhamos é que as famílias contactem com o banco e tentem evitar o incumprimento, ou seja, devem ter uma posição proactiva para travar uma situação de incumprimento.

Importa gerir cuidadosamente o orçamento familiar. A moratória representa um alívio temporário para as famílias mais penalizadas com a crise, mas é necessário preparar o futuro. Portanto, se está iminente o fim da moratória e se verificam que a redução dos orçamentos familiares irá permanecer após este período excecional, as famílias devem tentar renegociar os créditos, para evitar o incumprimento.

As famílias em dificuldades podem sempre recorrer aos mecanismos PARI – Plano de Ação para o Risco de Incumprimento e PERSI – Procedimento Extrajudicial de Regularização de Situações de Incumprimento, pois os bancos serão obrigados a apresentar uma solução.

Se precisar de orientação ou ajuda para a renegociação dos seus créditos, poderá recorrer ao Gabinete de Proteção Financeira da DECO. Para informação complementar, poderá contactar a DECO pelo telefone, para os nºs 213 710 238 ou por email: gas@deco.pt 

Leave a Reply

Recentes de Empresas

Ir para Início
%d bloggers like this: