Bispo de Leiria-Fátima entrega a renúncia quaresmal à Cáritas de Leiria

Em Sociedade

O bispo da diocese de Leiria-Fátima, António Marto, anunciou hoje que vai entregar a renúncia quaresmal à Cáritas de Leiria, face ao aumento de pedidos de ajuda de famílias no contexto da covid-19.

Numa mensagem em vídeo divulgada hoje, António Marto entende que a chamada renúncia quaresmal, como expressão da partilha solidária de bens, será entregue à Cáritas, respondendo, assim a um apelo da presidente daquela instituição de solidariedade a nível nacional.

O anúncio surge dias antes de se iniciar a semana da Cáritas, que começa no domingo, dia 28 de fevereiro.

“Este ano chegou-nos um apelo da presidente da Cáritas nacional para destinar a renúncia quaresmal à Cáritas de cada diocese, invocando o motivo do aumento exponencial do número cada vez maior de pessoas e famílias que recorrem às Cáritas diocesanas”, referiu o bispo de Leiria-Fátima.

António Marto recordou que as Cáritas também se encontram “em dificuldades económicas”, uma vez que “no ano passado não foi possível fazer o habitual peditório de rua (como também não será este ano), nem o previsto ofertório”.

“Tendo ouvido o Conselho de Vigários, decidimos que a renúncia da quaresma deste ano 2021 será destinada à Cáritas diocesana. Faço um apelo a todos e a cada um dos cristãos da nossa diocese que sejam generosos nesta partilha lembrando-nos de que ‘o pouco, se partilhado com amor, nunca acaba, mas transforma-se em reserva de vida e felicidade’”, refere o também cardeal.

António Marto recordou ainda que a quaresma este ano será vivida “no contexto da terceira vaga da pandemia mais complicada e cheia de incerteza”.

Estamos a sentir ainda mais o impacto dos efeitos socioeconómicos desta crise. Como cristãos não podemos ficar indiferentes às situações de pobreza”, referiu ainda o cardeal, evocando as palavras do papa Francisco, que convida a “viver e testemunhar a caridade”.

A caridade realiza-se no cuidado recíproco de uns pelos outros, na solidariedade ativa e no apoio aos mais pobres e necessitados”, acrescentou António Marto.

Leave a Reply