PSD e CDS de Azambuja iniciam conversações para alternativa autárquica

Em Região

As Secções de Azambuja do PSD e CDS-PP anunciam o início de conversações para plataforma política alternativa e emitem um comunicado conjunto assinado pelos presidentes da Comissão Política do PSD/Azambuja, Rui Corça, e da Comissão Política do CDS-PP/Azambuja, Vasco Lima.

Rui Corça candidata-se à Câmara de Azambuja, tudo indica em coligação com o CDS-PP

Recorde-se que o PSD aprovou em janeiro a recandidatura do gestor e vereador Rui Corça à presidência da Câmara de Azambuja nas eleições autárquicas deste ano.

No comunicado conjunto, as estruturas locais dos 2 partidos consideram que “estes últimos 4 anos de mandato autárquico demonstraram à exaustão que o projeto político do Partido Socialista está esgotado e traduziu-se na prática numa gestão municipal errática, vazia de ideias, obras ou ações, sem qualquer planeamento estratégico e definição de prioridades e principalmente muito aquém das necessidades das populações”.
O comunicado refere, como “exemplo, a flagrante incapacidade de passar para a obra o chamado Mapa de Intervenções Urgentes em Estradas Municipais de 2017. Até o que era considerado pelo PS como “muito prioritário” continua por resolver, como a reparação da Estrada Municipal 513 (Azambuja / Casais das Amarelas), da Estrada Dona Francisca (Casais do Alfaro / Casais dos Britos) e da Rua da Murta (Casais dos Britos), entre muitas outras. E não é por falta de verbas que estas promessas não saem do papel, pois entre 2016 e 2020 os contribuintes entregaram à Câmara de Azambuja quase 8 milhões de euros de Imposto Único de Circulação! Estas promessas não saem do papel apenas por incapacidade de planear bem e fazer rápido!”
Para os dois partidos, “o concelho de Azambuja é hoje um território abandonado por todos os poderes socialistas”. É que para o PSD e CDS-PP, “também do Governo as decisões tardam e as obras apenas continuam no papel. É por isso que a Estrada Nacional 3 continua a ser das mais perigosas da região apesar de todas as promessas de uma requalificação rápida feitas pelo Ministério das Obras Públicas. É também por isso que a Escola Secundária de Azambuja continua à espera de uma intervenção estrutural de fundo que resolva problemas como a chuva dentro de salas de aula e da biblioteca ou a falta de um pavilhão gimnodesportivo tão necessário a todo o agrupamento, apesar das muitas promessas do Ministério da Educação. Outro exemplo é a incapacidade de concretizar uma solução para a passagem de peões junto à rotunda de acesso à A1 em Aveiras de Cima.”
Por outro lado, o PSD e o CDS-PP afirmam que “nestes últimos 4 anos, o único vereador da CDU, comportou-se como um jogador suplente e nunca apresentou quaisquer propostas ou soluções alternativas, resignando-se a validar sem grande discussão, as opções tomadas pelo PS, comportando-se na Câmara Municipal como a oposição à oposição do PSD. Neste quadro político local, a CDU é a mesma coisa que o PS, deixou de se alternativa”, refere o comunicado.

PSD e CDS-PP anunciam plataforma política alternativa

“Não há quaisquer apoios aos pequenos comerciantes e empresários, que assim estão condenados à falência e praticamente não se cria valor”, afirma o comunicado.
Por estas razões, as Comissões Políticas Concelhias do PSD e do CDS – PP, anunciam que “decidiram iniciar contactos formais para a construção de uma plataforma política alternativa ao atual impasse autárquico. Com uma conjugação de esforços e ideias, aberta a cidadãos independentes e, eventualmente, a outras forças partidárias, tendo em vista uma ação autárquica concreta focada nas pessoas e para as pessoas e na determinação quotidiana para construir um futuro melhor para as populações do concelho de Azambuja em particular nas áreas da Educação, Habitação, Saúde, Trabalho e Ambiente”.

Leave a Reply