Os 10 jogadores com mais jogos pelo Coruchense no Campeonato de Portugal

Em Desporto

Líder destacadíssimo da Divisão de Honra da AF Santarém, o Grupo Desportivo «O Coruchense» está na pole position para assegurar o primeiro lugar no campeonato e consequente subida ao Campeonato de Portugal. Caso venham a regressar ao terceiro escalão após três anos de ausência, a formação de Coruche volta a uma prova na qual competiu por duas vezes, sendo que ambas (2015-16 e 2017-18) culminaram na descida de divisão. O clube ribatejano, que também participou por seis vezes na II e 13 na III Divisão, procura regressar aos patamares nacionais. Em 62 jogos no Campeonato de Portugal, o emblema tricolor somou 14 vitórias, 14 empates, 34 derrotas e um saldo de 54-95 em golos. Ao longo dessas duas presenças, 58 futebolistas jogaram pelo Coruchense na competição. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.  10. Amâncio Fortes (26 jogos)

10. Amâncio Fortes (26 jogos)

Extremo luso-angolano que jogou ao lado de Adrien Silva, Wilson Eduardo e Marco Matias nos iniciados do Sporting e de Tom Cleverley nos juvenis do Manchester United, passou pelo Fátima e por clubes de Angola, Indonésia, Espanha, Bulgária e Moldávia antes de ingressar no Coruchense no verão de 2015, já com a época a decorrer.

Uma das figuras da equipa ribatejana no Campeonato de Portugal em 2015-16, disputou 26 jogos (25 a titular) e apontou quatro golos, diante de 1º Dezembro, Sacavenense, Loures e Torreense, mas foi impotente para evitar a despromoção.Depois prosseguiu o seu percurso como globetrotter do futebol, tendo voltado à Moldávia, passado pela Letónia e jogado em Portugal ao serviço de Casa Pia e Recreio de Águeda.  

Igor Caetano (28 jogos)

9. Igor Caetano (28 jogos)

Médio brasileiro de características ofensivas, chegou a Portugal no verão de 2014 para reforçar a União de Leiria, mas não chegou a estrear-se oficialmente pelos leirienses e rumou pouco depois ao Torreense.

No ano seguinte transferiu-se para o Coruchense, clube pelo qual disputou 28 jogos (22 a titular) no Campeonato de Portugal e apontou seis golos, frente a Loures (dois), Sacavenense (três) e Eléctrico, registo que fez dele um dos melhores marcadores da equipa – a par de Iaquinta – mas ainda assim insuficiente para ajudar o emblema tricolor a assegurar a permanência.Após a descida de divisão rumou a Trás-os-Montes para representar o Mirandela. 

8. Joel (28 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Igor Caetano, mas amealhou mais 223 minutos em campo – 2248 contra 2025.Avançado ribatejano, natural de Salvaterra de Magos, reforçou pela primeira vez o Coruchense no início de 2014, já depois de ter passado por Cartaxo e Fazendense.

Na segunda temporada no Estádio Municipal Professor José Peseiro contribuiu para a conquista do título distrital e da Taça AF Santarém, ajudando o emblema tricolor a regressar aos campeonatos nacionais após 13 anos de ausência. No entanto, em 2015-16 não jogou no Campeonato de Portugal porque regressou ao Fazendense. Ainda assim, no verão de 2016 voltou a Coruche para se sagrar novamente campeão distrital, tendo em 2017-18 atuado em 28 jogos (25 a titular) no terceiro escalão do futebol português e apontou dois golos, diante de Fátima e Praiense, não conseguindo evitar a despromoção.

Após a descida de divisão permaneceu no clube até 2020, quando se transferiu para o Salvaterrense, clube onde iniciou a formação.

7. Branco (28 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Joel Simões e Igor Caetano, mas amealhou mais minutos em campo: 2431.Possante defesa central/médio defensivo (1,87 m) proveniente do Atlético, ingressou no Coruchense no verão de 2017 e rapidamente se assumiu como titular indiscutível, tendo na única época que passou no clube disputado 28 jogos (27 a titular) no Campeonato de Portugal e apontado dois golos, frente a Praiense e Fátima, insuficientes para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão mudou-se para o Olímpico Montijo.

6. Mauro Andrade (28 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Branco, Joel Simões e Igor Caetano, mas amealhou mais minutos em campo: 2450.Médio defensivo que passou pela formação do Belenenses, reforçou o Coruchense no verão de 2017, proveniente do Vilafranquense.

Na única temporada que esteve em Coruche foi titular nos 28 jogos que disputou no Campeonato de Portugal, mas mostrou-se impotente para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão continuou a jogar em clubes do terceiro escalão do futebol português, nomeadamente LouresFátimaTorreense e Lusitano Évora.

5. Lucas Manoel (28 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Mauro Andrade, Branco, Joel Simões e Igor Caetano, mas amealhou mais minutos em campo: 2458.Defesa central brasileiro possantíssimo (1,96 m), entrou no futebol português pela porta dos juniores do Nacional nas primeiras semanas de 2015, mas meio ano depois reforçou o Coruchense.Na única temporada que passou no Estádio José Peseiro foi titular nos 28 encontros que disputou no Campeonato de Portugal, mas foi impotente para evitar a despromoção.Após a descida de divisão transferiu-se para o Moura, clube em que fixou desde então, à exceção de uma curta passagem pelo Cesarense.

4. Cajarana (29 jogos)

Mais um jogador ribatejano, neste caso um defesa central/esquerdo natural do Cartaxo e que fez quase toda a formação no clube local, o Sport Lisboa e Cartaxo, pelo qual também se estreou no futebol sénior.No verão de 2016 mudou-se para o Coruchense e logo na primeira temporada com a camisola tricolor conquistou o título distrital da AF Santarém e consequente subida ao Campeonato de Portugal, patamar em que disputou 29 jogos (todos como (todos como titular) em 2017-18, não conseguindo evitar a despromoção.

Após a descida de divisão permaneceu mais um ano do clube, tendo vencido a Supertaça distrital antes de rumar à União de Santarém.

3. Tiago Batista (29 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Cajarana, mas amealhou mais um minuto em campo – 2506 contra 2505.

Mais um jogador natural do Cartaxo e que chegou a Coruche no verão de 2016 proveniente do Sport Lisboa e Cartaxo, tal como Pedro Soares, David Silva, Ricardo Henriques, Rafael Barbosa e o já mencionado Cajarana.

Na primeira época no Estádio José Peseiro sagrou-se campeão distrital da AF Santarém e conseguiu a consequente subida ao Campeonato de Portugal, patamar em que em 2017-18 atuou em 29 partidas (todas a titular) e apontou sete golos, registo que fez dele o melhor marcador da equipa nessa temporada, algo notável para um médio, mas que não impediu a descida de divisão. Vilafranquense, Alcanenense, Guadalupe (dois), Eléctrico, Sintrense e Lusitânia dos Açores foram as vítimas de Tiago Batista.

Após a despromoção permaneceu no terceiro escalão do futebol portuguêsprova em que continuou a jogar com a camisola do Sertanense.

2. Assane (29 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Tiago Batista e Cajarana, mas amealhou mais minutos em campo: 2549.Defesa lateral com nacionalidades senegalesa e guineense, entrou no futebol português pela porta do Alcanenense em 2014-15, tendo na época seguinte continuado no Ribatejo, mas ao serviço do Coruchense.

Titularíssimo na equipa tricolor, participou em 29 encontros (28 no onze inicial), mas foi impotente para evitar a descida de divisão.Após a despromoção rumou a norte para representar o Lusitano Vildemoinhos.

1. Márcio Semeano (46 jogos)

O único jogador que esteve nas duas participações do Coruchense no Campeonato de Portugal.

Defesa central/médio defensivo ribatejano natural de Benavente, fez quase toda a formação e os primeiros anos de sénior no Grupo Desportivo Benavente, tendo ainda passado pelo Cartaxo antes de reforçar o Coruchense no verão de 2013.

Na segunda época com a camisola tricolor sagrou-se campeão distrital e ajudou o clube a regressar aos campeonatos nacionais após 13 anos de ausência, tendo em 2015-16 disputado 24 jogos (21 a titular) no Campeonato de Portugal, mas sem evitar a despromoção.

Na temporada que se seguiu voltou a conquistar o título distrital da AF Santarém e a assegurar nova subida de divisão, tendo participado em 22 encontros (todos como titular) no terceiro escalão do futebol português em 2017-18, mas sem evitar novamente a descida aos distritais ribatejanos.

Após mais uma despromoção permaneceu mais um ano no clube, tendo depois regressado ao Cartaxo e posteriormente ao Benavente.

David Pereira

Leave a Reply